Conheça as doenças de pele que pioram com o frio

Irritações na pele, dermatites e psoríase são alguns exemplos

Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Banhos muito quentes no frio pioram as doençãs na pele. 

Não são apenas os problemas respiratórios que se agravam nesta época do ano. No inverno, a pele sente os efeitos da queda da temperatura e da umidade do ar, fica mais ressecada e suscetível a infecções. De acordo com Juliana Drumond, dermatologista pela USP e membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia, as dermatites atópica e seborreica, eczemas e psoríase são algumas das doenças que pioram com o frio.

Por que a pele fica mais sensível nesta época do ano?

Drumond explica que a oleosidade natural da pele é muito importante para proteger o corpo do frio, de bactérias, fungos, vírus, de poluentes do ar, do contato com alérgenos como poeira, mofo e fibras de tecidos.

No frio, além de suar menos, as pessoas costumam beber pouca água e tomar banhos quentes e longos. Esses hábitos danificam a camada de gordura que reveste a pele e funciona como uma barreira protetora. Assim, o tecido fica mais sensível a agentes externos que causam irritações e alergias.

Quais as doenças mais comuns?

Além de irritações na pele, que levam a coceiras, descamação, vermelhidão e até rachaduras, pode haver o agravamento de doenças crônicas, como dermatites e psoríase.

Como as dermatites se manifestam?

"A dermatite atópica é uma alergia crônica caracterizada por deficiência de hidratação cutânea, muito comum em crianças que têm outras alergias, como rinite, bronquite e sinusite. Os sintomas são coceiras, pele avermelhada, prurido e descamação, principalmente nas regiões das dobras, como atrás do joelho", disse a médica. 

A dermatite seborreica causa caspa e oleosidade nos cabelos e couro cabeludo. A recomendação é evitar banhos quentes e buchas nas áreas afetadas e reforçar a hidratação da pele com produto adequado.

Como controlar os sintomas da psoríase?

A psoríase é uma doença inflamatória da pele de causa genética e que causa muito desconforto nos pacientes, que sofrem com o preconceito.

"Surgem placas avermelhadas com escamas grossas nos joelhos, cotovelos e couro cabeludo. Baixas temperaturas, banhos quentes, falta de hidratação e de exposição solar pioram o problema. É importante tomar sol diariamente nos horários adequados, pois a radiação ultravioleta ajuda a controlar a doença", destacou. 

A roupa também podem causar irritações?

"Sim, tudo que entra em contato com a pele pode ser um gatilho para quem tem alergias. A recomendação é dar preferência aos tecidos 100% de algodão, evitar lãs, fibras sintéticas e outros tecidos ásperos, além de retirar as etiquetas que costumam arranhar a pele. Vale ficar atento ao sabão em pó e outros produtos utilizados na lavagem. Em alguns casos, é necessário dispensar o amaciante", disse a médica. 

Quais os tipos de hidratantes mais indicados?

Segundo a dermatalogista, os produtos à base de ureia, ácido lático, ácido hialurônico, óleos vegetais, vitaminas e antioxidantes. Se for para uso infantil, sempre verificar a indicação de faixa etária.