Conheça os mitos sobre a vitamina C

Muito presente em frutas cítricas e em comprimidos efervescentes, a vitamina C pode ser uma boa aliada nos cuidados com a pele, mas existem mitos que giram em torno do uso deste composto

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A vitamina C é um poderoso antioxidante e atua como proteção da pele contra a ação de radicais livres. Sendo assim, um perfeito aliado na prevenção do envelhecimento precoce. ⁣O componente pode se tornar parte da rotina de beleza independente da pele de quem o utiliza, mas alguns cuidados devem ser tomados quanto ao consumo de informações que giram em torno desta substância.

De acordo com a dermatologista Juliana Drumond a vitamina C é capaz de clarear manchas na pele, retardar o aparecimento de rugas e linhas de expressão e ainda promover uma uniformização do tom da pele.

Mito 1 - Vitamina C não combina com sol!⁣

Vale lembrar que a vitamina C é um ácido, este fato pode causar certa confusão na cabeça das pessoas, que acreditam que a vitamina possa causar queimaduras ou vermelhidão na pele durante a exposição solar. ⁣Mas a verdade é que este ativo não é fotorreativo e pode ser utilizado durante o dia e durante a noite. ⁣

Mito 2 - Quem tem pele negra não pode usar vitamina C⁣

A pele negra possui uma variadas restrições quanto ao uso de clareadores e ácidos, como o retinol ou a hidroquinona, que podem irritar e provocar manchas. Mas devido ao efeito anti-inflamatório da vitamina C, ela também é capaz de clarear a pele negra sem causar irritação. ⁣

Mito 3 - A vitamina C tópica e oral fazem o mesmo efeito⁣

Caso o objetivo principal seja melhorar a aparência da pele e obter benefícios como o clareamento de manchas ou tratamento de rugas, é preferível fazer o uso tópico do produto que pode ser utilizado no colo, rosto e mãos.⁣

Mito 4 - Vitamina C deixa a pele mais oleosa⁣

O composto em si não provoca oleosidade da pele e nem causa acne. O que deve ser levado em conta é a forma com que a vitamina C é utilizada na pele. Por exemplo, se o composto está inserido em um creme mais oleoso, pessoas que já possuem uma oleosidade acentuada na pele não devem utilizar o produto, sendo preferível o uso de produtos mais secos como os séruns.

Últimas