Folha Vitória Consumidor consciente exige empresas ainda mais bem posicionadas

Consumidor consciente exige empresas ainda mais bem posicionadas

Os consumidores modernos nunca estiveram tão conscientes social e ambientalmente. E se as empresas e marcas quiserem ter um lugar ao sol na lembrança dessas pessoas, não basta dizer as coisas certas ou ter solidariedade e empatia

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Com a internet, ficou cada vez mais fácil chegar se um discurso corresponde à ação. Declarações não autênticas ou imprecisas sobre seus compromissos com diversidade, direitos iguais e outras questões atuais podem ser facilmente desmascaradas, e o preço por isso costuma ser alto. Qual tem sido o posicionamento da sua empresa? Veja algumas dicas para não ter seu discurso questionado e sua marca cancelada em tempos de consumidor vigilante e responsável.

1. Esqueça o “faça o que eu digo, mas não o que eu faço”. Autenticidade em marketing é tudo. Essa prática sempre foi recomendada, mas agora é ainda mais necessária. Isso é tudo o que os consumidores desejam ver e ajuda a construir confiança a longo prazo.

Empresas que reconhecem o que está acontecendo no mundo e que desejam honestamente que as coisas mudem para melhor (em questões de gênero e raciais, por exemplo) tocam no ponto certo com os consumidores. Estudos indicam que cerca de 40% da reputação públicas das empresas devem-se à responsabilidade social corporativa.

2. Vá além dos muros da empresa. Temas sensíveis em voga atualmente, como injustiça racial e saúde, podem estar fora do radar das equipes de marketing. Mas é importante comentar esses tópicos delicados sempre com muita sinceridade. Trocar ideias com pessoas de fora da organização ajuda a ter mais clareza dos conceitos.

3. Ouça, processe e valide as opiniões. Quando alguém, principalmente um funcionário, expressa uma preocupação, não apenas ouça, mas processe aquilo sem preconceitos e de forma crítica. E na hora de manifestar o posicionamento da empresa, faça uso das terminologias, frases e palavras que as pessoas usam. Isso mostra que você as ouviu e compreende.

4. Peça desculpas e não fique por isso. Um pedido de desculpas sincero tem o seu poder. Não importa quando foi a transgressão nem o “estrago” que tenha causado, o arrependimento pode ser manifestado genuinamente sem advertências ou explicações. Depois do pedido de desculpas, é fundamental continuar o diálogo sobre o tema que causou a in fração. Ele é um excelente primeiro passo para mostrar como as empresas e marcas se educaram melhor e estão crescendo. Permanecer em silêncio, ao contrário, só deixa as coisas piores, e considerando a cultura do cancelamento, esse erro pode ser fatal.

A empresa ou marca pode não acertar 100% das vezes, mas se mostrar disposição pelo menos naquilo que são seus valores essenciais já estará demonstrando empatia e comunicando seus propósitos. Para ser consciente e responsável, é necessário que as ações sejam rotineiras, não oportunistas.

Últimas