Folha Vitória Contrato não é renovado e projeto que garantia alimentação à população de rua é extinto

Contrato não é renovado e projeto que garantia alimentação à população de rua é extinto

Criado em abril, em Vitória, para fornecer alimentos a moradores de rua durante a pandemia, projeto Tenda do Bem teve as atividades encerradas no sábado

Folha Vitória
Foto: TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Criado para ajudar pessoas em situação de rua no município de Vitória, durante a pandemia, um serviço emergencial de assistência social, que levava alimentação a essa população, teve as atividades encerradas no último sábado (9). Entretanto, a prefeitura da capital garante que os beneficiários não estão desassistidos pelo poder público.

O projeto social Tenda do Bem teve início em abril do ano passado e garantiu, entre outras coisas, que pessoas em situação de rua em Vitória tivessem diariamente o que comer. Ao todo, 150 marmitas eram distribuídas em dois pontos da capital: na Praça do Papa e em frente ao Parque Pedra da Cebola. Essas marmitas eram a principal e, muitas vezes, até a única refeição do dia para muita gente. 

No entanto, o contrato da prefeitura com a ONG que prestava o serviço, por meio de um termo de cooperação, venceu em dezembro e acabou não sendo renovado, em janeiro, pela atual gestão. O último dia de distribuição das marmitas foi no último sábado.

Para a mobilizadora social Gessica Muhd, que prestava serviço na ONG responsável pelo projeto, foi um dia difícil, principalmente para quem se beneficiava do trabalho.

"Foi muito triste. Alguns ficaram revoltados e outros se desesperaram, choraram, colocaram a mão no rosto e falaram: 'e agora, o que vai ser de mim? Como eu vou comer a partir de domingo? Essa é a única refeição que eu tenho todos os dias. O que vai ser de nós daqui pra frente?'", relatou.

A secretária municipal de Assistência Social de Vitória, Cintya Schulz, afirma, no entanto, que o encerramento do serviço não foi uma decisão da atual gestão. A secretária afirma que não houve tempo hábil para formalizar uma renovação do termo de cooperação.

"Era um prazo que tinha. Foi um termo de cooperação emergencial, para fornecimento dessa alimentação, e, infelizmente, nós não tivemos tempo hábil para fazer com que tivesse essa continuidade. Existem questões burocráticas, que precisam ser cumpridas na administração pública", explicou.

Cintya Schulz também garantiu que, independente do ocorrido, as pessoas em situação de rua em Vitória não estão desassistidas. "A gente tem o Centro Pop, que, em momento nenhum, interrompeu o fornecimento de alimentação para a população de rua. São conferidas três refeições ao dia. E também, a partir de amanhã (quarta-feira, dia 13), nós teremos as equipes de abordagem de rua indo aos locais onde funcionava esse tipo de serviço, para orientar e encaminhar essa população. Eles não vão ficar desassistidos", afirmou.

A produção da TV Vitória/Record TV tentou falar com os responsáveis pelo projeto na gestão passada da prefeitura, mas não conseguiu contato.

Com informações do repórter Alex Pandini, da TV Vitória/Record TV 

Últimas