Folha Vitória Covid-19: Vitória abre vacinação para pessoas com mais de 30 anos com comorbidades

Covid-19: Vitória abre vacinação para pessoas com mais de 30 anos com comorbidades

Agendamento começa nesta sexta (14), às 16h; poderão ser vacinadas, na mesma faixa etária, pessoas com deficiência permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada

Folha Vitória
Foto: Prefeitura de Vitória/ Elizabeth Nader
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A cidade de Vitória abre nesta nesta sexta-feira (14), a partir das 16 horas, 3.800 vagas destinadas para pessoas com comorbidades na faixa etária de 30 a 59 anos, que devem receber a primeira dose da vacina contra a covid-19. 

O agendamento pode ser feito por meio do link agendamento.vitoria.es.gov.br ou pelo aplicativo Vitória Online.

Poderão ser vacinadas, na mesma faixa etária, pessoas com deficiência permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC). 

Já na faixa etária de 18 a 59 anos, poderão realizar a marcação pessoas com Síndrome de Down ou deficiência intelectual/mental, doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise), fibrose cística e obesidade mórbida (IMC maior de 40).

Locais de vacinação: 

A vacinação será realizada neste sábado (15), nos seguintes locais: Ginásio da Faculdade Salesiana, no Forte São João; Casa do Cidadão, em Itararé; Maanaim Vitória (ao lado do Teatro Carmélia); unidades de saúde de Conquista, Santo Antônio, Ilha de Santa Maria e Maruípe.

Documentos

A Secretaria de Saúde de Vitória (Semus) segue a resolução nº 048/21 e nota técnica 12/21 do Governo do Estado. Como comprovação para a vacinação, as pessoas devem apresentar, além do documento de identificação com foto, o laudo médico ou a prescrição médica ou declaração do enfermeiro do serviço de saúde onde o usuário faz tratamento.

Não são aceitos receita de medicamento e laudo de exame. A data do documento comprobatório deverá ser de 2018 em diante, ou seja, dos últimos três anos. A cópia do documento será retida.

Caso o morador não tenha a prescrição médica, pode procurar o enfermeiro da unidade onde faz o acompanhamento para emissão da declaração.

No caso de obesidade mórbida, também será aceito laudo emitido por nutricionista. No caso da hipertensão, serão aceitos laudos com a descrição “hipertensão arterial”, independente da confirmação de lesão em órgão alvo.

A Semus destaca que, para a emissão da declaração do enfermeiro, laudo médico ou para o aceite da prescrição médica como comprovantes da condição de comorbidade, estes deverão estar de acordo com os critérios estabelecidos no anexo I da resolução nº 048/2021 da Comissão Intergestores Bipartite (CIB).

>> Veja quais documentos podem comprovar comorbidade para vacinação no ES

Últimas