Folha Vitória Crianças acima do peso possuem 75% mais chance de serem adolescentes obesos

Crianças acima do peso possuem 75% mais chance de serem adolescentes obesos

Hábitos saudáveis podem ser estimulados pela família mesmo durante a quarentena

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A adoção de hábitos saudáveis na vida de uma pessoa deve ser estimulada desde muito pequena. De acordo com estudos divulgados pelo Ministério da Saúde, crianças acima do peso possuem 75% mais chance de serem adolescentes obesos, que têm 89% de chance de seguirem como obesos, quando adultos. O que antigamente era visto “apenas” como um problema estético – gerando desconforto e servido de piadas para os colegas – atualmente, já é visto com grande preocupação para a saúde de futuros adultos.

Por isso, neste momento em que as famílias estão mais tempo em casa, pode ser interessante investir um tempo para adaptar algumas atividades e, assim, propor uma melhor qualidade de vida, que pode ser interessante para toda a família. De acordo com a nutricionista Fernanda Pignaton chama atenção para o fato de que, muitas vezes, o problema não está na quantidade, mas na qualidade dos alimentos consumidos pelas crianças e adolescentes.

“Dentre os exemplos, podemos citar o consumo de batata frita, bife e lanches, principalmente, estes que são pedidos nos estabelecimentos, já que existem algumas opções de fast foods que podem ser mais saudáveis, se feitos em casa. Tem pizza falsa com frango, que substitui o presunto ou hambúrguer com carne feita em casa, sem tantos molhos e condimentos artificiais, além de outras receitas que também podem ser facilmente encontradas”, comenta.

Além disso, deve-se ter atenção também aos hábitos alimentares dos adultos, que acabam induzindo aos mais jovens para comerem do mesmo jeito. “Uma boa forma de apresentar estímulos positivos é com a realização de refeições em família à mesa. Essa experiência contribui para diversos fatores, inclusive comportamentais”, indica.

Neste período de pandemia, algumas famílias estão separando um tempo para levar as crianças para a cozinha. Segundo a nutricionista, isso favorece hábitos alimentares mais saudáveis na fase adulta, apresentando desde cedo o preparo dos alimentos e deixando de lado os produtos de fast food. “A dica neste sentido é começar pelo básico, deixando eles ‘tomarem gosto’ pela cozinha e se sentirem bem em preparar a própria refeição”, sugere.

A opção deve ser por comida de verdade, preparada em casa, com alimentos in natura. “Produtos processados – como preparações congeladas, macarrão instantâneo, mistura para sopas e bolos, molhos e temperos prontos ou ultraprocessados, a exemplo de embutidos, linguiça e nuggets – contém muito sal, açúcar e gorduras nocivas para o organismo”, orienta.

Corpo em movimento

Manter a prática de exercícios físicos contribui não só para a perda de peso, mas também para aumento da autoestima, prevenção de doenças e melhora do humor. A Organização Mundial de Saúde recomenda um mínimo de 150 minutos de atividade física moderada por semana. Isso significa pouco mais de 20 minutos de movimento por dia. Em caso de crianças e adolescentes, a disputa com os equipamentos eletrônicos pode ser mais uma barreira a ser vencida pelos pais para coloca-los em movimento, mesmo estando em casa.

Para os pequenos, a nutricionista Fernanda Pignaton conta uma experiência que tem dado certo com a sua filha Julia, de 11 anos. “Eu dei para ela um relógio contador de passos, assim como eu já tinha, e todos os dias nós ‘disputamos’ para ver quem andou mais. Isso a estimulou a se movimentar para sempre tentar ganhar. É usar a competitividade como ferramenta”, brinca.

De acordo com o profissional de educação física, Leonardo Ferreira Pereira, da Academia Hangar, a atividade física é indicada para qualquer idade, variando apenas o tipo de movimento para não comprometer o processo de crescimento. “É possível realizar exercícios que usam o próprio peso corporal, como: agachamentos, flexões, pranchas, dentre outros. Assim, pode-se manter o condicionamento físico, a flexibilidade, as medidas e, ainda, se beneficiar de todas as respostas hormonais que o exercício físico proporciona”, recomenda.

Últimas