Folha Vitória Criminosos são presos suspeitos de matar e atear fogo em homem na região do Caparaó

Criminosos são presos suspeitos de matar e atear fogo em homem na região do Caparaó

O crime foi cometido há um ano. O corpo da vitima foi encontrado carbonizado

Folha Vitória
Foto: Reprodução/ Polícia Civil
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Dois homens suspeitos de cometer um homicídio foram presos na manhã desta quarta-feira (18), no município Mineiro de Espera Feliz. A cidade fica próxima à região do Caparaó, no Espírito Santo. No local a policia também encontrou drogas.

A equipe da Delegacia de Polícia (DP) de Guaçuí e Dores do Rio Preto, sob o comando do delegado Marcos Nery, cumpriu o mandado de prisão. De acordo com a polícia, o corpo dele foi localizado carbonizado há um ano na zona rural de Dores do Rio Preto.

De acordo com o delegado, o crime está relacionado com o envolvimento da vítima e dos suspeitos no tráfico de drogas. “Os dois detidos são apontados como os maiores traficantes de drogas de Espera Feliz”, informou.

Segundo a polícia, a vítima tinha 26 anos e era morador de Espera Feliz. “Após tomar conhecimento de que havia uma pessoa desaparecida, os policiais da nossa equipe entraram em contato com familiares para coletar amostras para o exame de DNA que comprovou a identidade da vítima. As investigações prosseguiram e identificamos os dois suspeitos do crime”, disse o delegado.

Após a identificação dos suspeitos — dois homem de 35 anos, o delegado solicitou à Justiça de Dores do Rio Preto os mandados de busca e apreensão e de prisão temporária de 30 dias e o pedido foi acatado.

“Diante disso, montamos uma operação conjunta entre a nossa equipe e a Polícia Civil de Minas Gerais, que teve ainda o apoio da equipe de Cães das Rondas Ostensivas Com Cães (Roccas), e cumprimos os mandados de prisão nas respectivas casas dos suspeitos”, explicou Nery.

Durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão, os policiais encontraram dois tabletes grandes de crack, uma sacola com cocaína, uma sacola com pasta base, pedras de crack, a quantia aproximada de R$ 2,5 mil e duas armas, sendo uma de calibre 32 e uma bereta 635, que serão analisadas pela perícia para identificar se podem ter sido usadas no crime.

O delegado vai solicitar à Justiça a conversão do mandado de prisão temporária para preventiva. Eles foram encaminhados ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cachoeiro de Itapemirim.

Últimas