Folha Vitória Custo da construção teve aumento de 0,80% em outubro, segundo FGV

Custo da construção teve aumento de 0,80% em outubro, segundo FGV

Segundo a Fundação Getulio Vargas, o acumulado do custo da construção para os últimos 12 meses teve aumento de quase 17%. Para evitar desperdícios e retrabalhos, o que aumenta os custos da obra, o arquiteto se torna um profissional indispensável para quem não quer perder dinheiro.

Folha Vitória
Foto: Divulgação/DINO
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O ditado é popular e todo mundo conhece: o barato, muitas vezes, sai caro. Quando se fala em planejamento de obras, é preciso ter atenção redobrada. Isso porque o custo da construção, que inclui materiais e serviços, acumulou alta de quase 17% entre junho de 2020 e junho de 2021, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). Somente no mês de outubro, a alta dos preços atingiu 0,80%, de acordo com a instituição, que divulga mensalmente o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC). 

Com os preços mais altos, é preciso saber exatamente onde gastar, com o que gastar e como gastar. Nessas horas, a presença de um arquiteto na elaboração do projeto e assessoramento da obra é fundamental. De acordo com o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), um profissional dessa área pode garantir maior economia no custo total da obra com menor risco de erros que possam incidir em retrabalho, ou seja, mais gastos com mão de obra e materiais de construção.

A arquiteta Camila Tormente Rufino de Melo enfatiza que a presença de um profissional de arquitetura pode anteceder até mesmo a compra de um terreno onde se pensa em erguer uma construção. Essa precaução evita a aquisição de um local inadequado para o tipo de obra que se quer iniciar. “E além de realizar o levantamento e o estudo de viabilidade para aquisição de imóveis, o arquiteto pode fazer o planejamento da obra, aprovação de projeto nos órgãos competentes, o acompanhamento e o gerenciamento da construção, o controle de qualidade e a elaboração de relatórios e orçamentos, sempre tendo como referência as legislações locais”, acrescenta. 

A profissional, que atua com gerenciamento de contratos de obras e manutenção predial há 11 anos, ressalta que o acompanhamento de perto de uma obra de construção ou reforma é essencial para que tudo saia conforme o planejamento definido com o cliente. “O arquiteto também deve estar focado na obra, realizando um bom planejamento de custos, dos processos construtivos e técnicas mais adequadas para cada tipo de construção. Deve estar presente desde o início do processo do pensar. Entretanto, o que ainda percebemos é a ausência deste profissional durante o processo da execução, onde muitas vezes ele é acionado somente quando acontece uma intercorrência, o que pode onerar e muito o custo final da obra”, afirma. 

Maior parte das obras no Brasil é realizada sem a presença de um arquiteto

Um estudo encomendado pelo CAU/BR ao Datafolha para saber como o Brasil constrói, mostrou que dos 54% dos entrevistados que já construíram ou reformaram em alguma fase da vida, menos de 15% utilizaram os serviços de um arquiteto ou engenheiro. Outro dado identificado no levantamento é que a maioria dos 54% que construíram ou reformaram ficaram insatisfeitos com a obra. A maior parte das reclamações foi relacionada ao custo das obras, que ficou maior do que o esperado.

Nas entrevistas qualitativas, o Datafolha colheu depoimentos de pessoas que disseram pegar o orçamento apenas com quem ia executar o serviço – como pedreiros, por exemplo – e que o erro nos cálculos para aquisição de materiais e produtos os obrigou a desembolsar mais dinheiro para concluir a obra. 

A previsão de custos e as possibilidades de conseguir economizar em uma obra de construção ou reforma é algo que pode ser detalhado no projeto elaborado por um arquiteto. Esse planejamento prévio costuma evitar que transtornos não previstos e estouro do orçamento acabem surpreendendo o cliente. “Projetar é o conceito de pensar antes e, assim, planejar. É colocar na linha do tempo cada etapa do projeto e da sua execução, trazendo como resultado o orçamento da obra e a possibilidade do cliente realizar uma programação físico-financeira para realização do seu sonho, e a presença do arquiteto em todo o processo é indispensável para que tudo ocorra como planejado”, conclui Camila de Melo. 

Últimas