Folha Vitória De tornozeleira eletrônica, médico veterinário preso por maus-tratos em Vila Velha é solto

De tornozeleira eletrônica, médico veterinário preso por maus-tratos em Vila Velha é solto

Apesar de ser liberado, ele não pode, por enquanto, voltar a exercer a profissão

Foto: Reprodução TV Vitória

O médico veterinário André Carolino de Souza, preso por cometer maus-tratos contra animais em Vila Velha, foi liberado após 13 dias na prisão, na última quarta-feira (22). Mesmo fora da cadeia, por enquanto, ele não pode a voltar a exercer a profissão.

A notícia que levou o veterinário a ser preso chocou a população e comoveu os apoiadores da causa animal. Imagens que repercutiram mostram animais vítimas de maus-tratos. O crime foi descoberto no dia 9 de junho na clínica do médico veterinário.

O estabelecimento, localizado no bairro Pontal das Garças, em Vila Velha, foi interditado e o veterinário acabou preso. No entanto, na última quarta-feira (22), após 13 dias detido, André foi solto.

Leia mais: "Vários cachorros morreram por negligência", afirma ex-funcionária de clínica interditada em Vila Velha

Segundo advogados criminalistas, mesmo em liberdade provisória, o processo contra o veterinário continua. Para permanecer fora da cadeia, André vai precisar seguir algumas regras: 

- Não poderá exercer a profissão
- Jamais se ausentar do município sem autorização judicial
- Deve sempre usar a tornozeleira eletrônica

Na internet, o endereço da clínica veterinária indica que o local permanece fechado. Na operação policial realizada no estabelecimento, as equipes encontraram 16 animais internados e outros 18, entre cães e gatos, mortos e congelados em um freezer. No dia da prisão, o veterinário preferiu não falar sobre a situação.

Após o caso ser descoberto, foi protocolado um Projeto de Lei exigindo que clínicas e hospitais veterinários coloquem em local visível e de fácil leitura o alvará de funcionamento e o registro do médico veterinário. Se aprovado, o projeto prevê multa que pode variar entre R$ 4 mil a R$ 40 mil em caso de descumprimento da lei.

A suspensão temporária do registro profissional do médico foi confirmada pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária do Espírito Santo. Na autarquia, também existe um pedido feito pela Polícia Civil e pela CPI dos Maus Tratos para que André Carolino tenha a licença cassada.

Leia mais: Quais são os direitos dos donos dos animais vítimas de maus-tratos?

*Com informações da repórter Suellen Araújo, da TV Vitória/Record TV

Últimas