Folha Vitória Dia Nacional do idoso: como cuidar da saúde mental dos idosos em isolamento social?

Dia Nacional do idoso: como cuidar da saúde mental dos idosos em isolamento social?

O Dr. Sivan Mauer, psiquiatra especialista em depressão e transtornos de humor, dá dicas para impedir que a solidão tenha grande impacto no cérebro e no corpo das pessoas idosas

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A terceira idade já é um período que exige um pouco mais atenção na vida de qualquer pessoa, com maior tendência ao desenvolvimento de sintomas de ansiedade e depressão. Em 2020, com a chegada da pandemia e a medida restritiva de isolamento social, a preocupação com os idosos se tornou ainda maior. Como cuidar da saúde mental e impedir que a solidão tenha grande impacto no cérebro e no corpo dessas pessoas?

A falta de contato físico com a família e a privação da liberdade e independência para realizar tarefas simples do dia a dia, como ir ao mercado, são fatores de risco à saúde mental de qualquer pessoa, principalmente para os idosos. Segundo o psiquiatra Dr. Sivan Mauer, especialista em transtornos de humor, esse momento pede ainda mais atenção dos filhos e netos. “Não podemos deixar os idosos apenas reclusos em casa e achar que estamos os protegendo”, afirma. “Para aliviar a situação, é preciso que ele tenha contato com a família, seja com distanciamento ou por ambiente virtual”, explica ele.

A falta de contato com a luz do sol também é uma das principais causadoras dos sintomas de ansiedade e depressão. “A luz solar é extremamente importante para o funcionamento do nosso organismo. É comprovado que pessoas que vivem em lugares onde existe menos exposição à luz, têm maior tendência a desenvolver casos de transtornos de humor. Com o isolamento, os idosos acabam ficando mais presos em casa e, consequentemente, se expondo menos à luz solar”, conta o psiquiatra. Segundo o especialista, é preciso que todos os idosos, ativos ou não, caminhem diariamente, seja no quintal de casa ou até mesmo dando uma volta na quadra.

Outro grande problema que os mais velhos vêm enfrentando é a perda da noção do tempo. “Como nada de novo ou diferente está acontecendo em suas vidas, é comum que os idosos fiquem confusos e se percam na linha do tempo”, diz. “Por isso, é essencial que eles tenham uma rotina bem estabelecida para manter o ciclo circadiano, principalmente em relação à vigília e sono saudável. Procurar acordar e dormir nos mesmos horários, por exemplo, faz bem à saúde”, complementa Dr. Sivan Mauer.

Confira 5 dicas do Dr. Sivan Mauer para trabalhar a saúde mental dos idosos durante o isolamento social:

- Permanecer em contato com amigos e familiares respeitando o distanciamento e o uso de máscaras de proteção. Caso o idoso saiba manusear celulares, tablets ou computadores, os encontros também podem acontecer por ambiente virtual.

- Praticar exercícios físicos, como caminhadas pelo quintal ou em volta da quadra.

- Ter uma rotina bem estruturada para acordar e dormir diariamente no mesmo horário, realizar todas as refeições e não passar o dia inteiro de pijama.

- Tomar um banho de sol de dez a quinze minutos por dia.

- Testar novos (ou retomar antigos) hobbies, como bordado, costura e jardinagem. 

Últimas