Em bilhete deixado em ônibus incendiado, criminosos reclamam de comida estragada em presídio

De acordo com a Ceturb, só neste ano já foram oito casos de ataque em coletivos na Grande Vitória; na ocorrência de hoje, os bandidos ameaçaram novos incêndios

Foto: Matheus Brum / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Durante a madrugada desta quinta-feira (30), na região de Itacibá, em Cariacica, mais um ônibus foi incendiado na Grande Vitória. Este já foi o terceiro caso semelhante só em julho. De acordo com as investigações, quatro pessoas invadiram um coletivo e mandaram o motorista e os passageiros descerem do veículo.

Os bandidos atearam fogo no ônibus e no celular do motorista, impedido que ele acionasse a polícia. 

Antes de fugir, os criminosos ainda deixaram um bilhete reclamando de comida estragada nos presídios do Estado, pedindo a volta das visitas e ameaçaram novos ataques.

Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O veículo incendiado fazia um percurso para atender aos rodoviários que trabalham até mais tarde ou que saem de casa muito cedo. De acordo com um representante da categoria, ninguém ficou ferido.

Por nota, a Secretaria da Justiça (Sejus) disse que, em decorrência da pandemia do covid-19, adotou medidas de prevenção e controle da doença, incluindo a suspensão das visitas íntimas e sociais até o dia 31 de julho. "A mudança no procedimento é analisada de acordo com o cenário e de forma gradativa a fim de preservar a saúde de todos os envolvidos no sistema prisional", diz o comunicado.

A Sejus disse ainda que "preza pela segurança e ordem nas unidades prisionais e conta com uma Diretoria de Inteligência Prisional que atua em parceria com os demais grupos de inteligência das forças de segurança no Espírito Santo para coibir ocorrências incitadas por lideranças criminosas dentro e fora das unidades".

A Secretaria ressaltou que a alimentação ofertada nas unidades é baseada em padrões de qualidade, elaborada e supervisionada por nutricionistas, seguindo rígido controle de fiscalização.

Por fim, a Sejus informou que "não comunga com práticas de tortura de qualquer natureza e que tem como princípio o respeito aos direitos humanos. Denúncias de agressão cometida nas unidades podem ser encaminhadas à Corregedoria para devida apuração dos fatos", encerra a nota.

Prejuízo

A Ceturb informou que em todo o ano de 2019 criminosos incendiaram três ônibus do Sistema Transcol. Em 2020 já são oito coletivos. Os prejuízos giram em torno de R$ 400 mil em média por veículo incendiado (valor médio de um novo).

"A destruição de um coletivo pode atrapalhar a operação, pois um ônibus novo demora em torno de três meses para ser fabricado, além do período dos tramites legais para que ele entre em circulação", relata o órgão em nota.

Investigação

Foto: Matheus Brum / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Por volta das 7h40, um guincho chegou até o local para retirar a carcaça do veículo, que ficou completamente destruído durante o incêndio. 

Segundo a polícia, o caso seguirá sob investigação da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra o Transporte de Passageiros (DRCCTP), para identificar os suspeitos envolvidos. Quem tiver informações pode fazer uma denúncia anônima pelo telefone 181.

*Com informações do repórter Matheus Brum, da TV Vitória / Record TV