Folha Vitória Empresa de cibersegurança alerta sobre golpes dentro do aplicativo Clubhouse

Empresa de cibersegurança alerta sobre golpes dentro do aplicativo Clubhouse

A nova rede social surgiu com a proposta de funcionar apenas como plataforma de conversação por áudio

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Uma empresa no setor de cibersegurança emitiu um alerta, nesta quinta-feira (18), para possíveis golpes que envolvam a nova rede social Clubhouse. A plataforma ganhou forte notoriedade nas últimas semanas, com a entrada de famosos como a cantora Anitta e o bilionário Elon Musk.

O alerta foi feito pela empresa Kaspersky e, de acordo com o analista sênior da companhia no Brasil, Fábio Assolini, por ser um assunto de grande repercussão, a rede pode entrar na mira de hackers que buscam disseminar malwares ou até mesmo invadir a privacidade dos usuários.

"Observo a princípio, duas possibilidades de ciberataques relacionadas à plataforma: a venda de convites e os aplicativos falsos. No primeiro caso, trata-se simplesmente de uma monetização. O segundo cenário é mais sério", afirmou.

Ainda é possível que estes cibercriminosos estejam trabalhando na criação de versões falsas do aplicativo. Um exemplo dessa situação seria a presença da rede social na versão Android, já que o app original possui acesso apenas para usuários do sistema iOS.

"Se o usuário instalar uma versão falsa do Clubhouse, ele pode dar ao golpista acesso às informações de segurança de seu dispositivo Android, como permitir acesso à localização aproximada ou exata do aparelho móvel, gravar áudio e vídeo, invadir aplicativos de mensagens, entre outros", disse o analista.

Ainda de acordo com o especialista, outra prática possível, porém menos presente é a instalação de arquivos prejudiciais e a possibilidade de gravação do áudio. "Se esse recurso for permitido no dispositivo, eles poderão usar gravações de alta qualidade para treinar algoritmos de aprendizado de máquina e criar falsificações mais sofisticadas", alertou Assolini.

Para que os usuários fujam destes cibercriminosos e não caiam em algum tipo de golpe, a companhia recomenda que o aplicativo seja instalado apenas através das lojas oficiais e que não acessem links suspeitos. A empresa também lembra que os usuários devem ter atenção em permissões que os demais aplicativos solicitam no momento em que são baixados e que todos mantenham as soluções de segurança atualizadas.

Outra dica é se informar sobre os termos de uso, pois em determinados casos, o desenvolvedor do aplicativo diz claramente que pode ter acesso e compartilhas dados do usuário com terceiros.

* Com informações do Portal R7

Últimas