Folha Vitória Empresas de turismo local comemoram retomada de atividades no Espírito Santo

Empresas de turismo local comemoram retomada de atividades no Espírito Santo

O segmento ficou parado desde o mês de março, no início da pandemia, e só retornou em agosto. Empresas já registram grande procura

Folha Vitória
Foto: Divulgação Pedra Azul é um dos destinos mais procurados por turistas no Espírito Santo

O Espírito Santo é, sem dúvidas, um estado repleto de encantos e belezas naturais, que atraem turistas e visitantes de várias partes do Brasil e do mundo. Com várias opções de destinos turísticos, diversas empresas apostam em viagens e passeios para proporcionar um dia de lazer para clientes e fomentar o turismo no estado. Setor que também foi afetado durante a pandemia do novo coronavírus, mas que já está em recuperação.

Diante da circulação do vírus da covid-19, diversos destinos, hotéis, pousadas, restaurantes e parques foram orientados a fechar as portas para evitar a proliferação do coronavírus. O fato impactou diretamente as empresas de turismo, em especial as menores, que tiveram redução da renda de, praticamente, 100% durante meses.

Foi o caso da pequena empresa do Alexandre Ramos, que há cerca de oito anos trabalha com viagens para diversos locais do Espírito Santo e alguns de outros estados. Segundo ele, além de cancelar diversos passeios que já estavam programados no início da pandemia, foi necessário restituir os valores já pagos para diversos passageiros.

“Paramos de realizar os passeios em março e voltamos só em agosto. Isso impactou 100% e ficamos sem essa renda. Tivemos de buscar alternativas para resgatar alguma renda. Além desse impacto de não gerar renda, perdemos alguns passageiros e tivemos de restituir valores, sendo que temos custos administrativos, pois o valor não é composto só do custo”, explicou.

Foto: arquivo pessoal Um dos primeiros passeios realizados pelo Francisco foi para a colheita do morango

A situação não foi diferente para o Francisco Pereira, responsável por outra empresa que presta o serviço. Ele conta que também precisou cancelar as viagens programadas, mas conseguiu negociar com alguns clientes. “Em março, nós estávamos com muitas viagens programadas e tivemos de cancelar, fazendo devoluções para os clientes. Alguns deixaram o saldo da entrada para quando voltasse ao normal. Tivemos de nos virar como podemos. A única receita da agência era a viagem”, contou.

Passado o período mais crítico da pandemia no Espírito Santo, alguns pontos turísticos foram autorizados a reabrir as portas, mantendo cuidados necessários, orientados pelas autoridades de saúde. Entre as orientações, estão o uso de máscara e o distanciamento social.

Com o retorno, voltaram também os passeios. Um alívio para as pequenas empresas que dependem exclusivamente do serviço. “A procura está grande e muita gente está procurando pelas viagens. Estamos trabalhando com um número reduzido de pessoas no transporte e estamos tomando todas as precauções necessárias. Mesmo assim, muitas pessoas ainda têm o receio de viajar. Estamos orientando os clientes quanto aos cuidados e tirando todas as dúvidas”, explicou Francisco Pereira.

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal Uma das opções do Alexandre é o passeio nos trilhos de Alfredo Chaves

Na empresa do Alexandre Ramos, a procura também está acima das expectativas. Com vários passeios programados para os próximos finais de semana, ele acredita que, apesar de vivermos um novo normal, novas regras ainda surgirão para manter o ritmo dos passeios turísticos. “Acredito que voltamos com um ‘novo normal’ e vai surgir um ‘novo novo normal’. Muita coisa já mudou para o turismo em geral. O turismo é composto pelas agências, hotelaria, transportadoras, pontos turísticos. Acredito que muita coisa ainda está para mudar, mas não está como antes”, disse.

O secretário de Turismo do Espírito Santo, Dorval de Assis Uliana, destacou que o estado sofreu com os impactos da pandemia e que a retomada é importante, não só para o turismo de lazer, mas também para o turismo de negócios. “O Espírito Santo tem um fluxo de turismo de negócio e de lazer que sofreram muito com a queda do turismo. As pessoas tiveram medo de viajar, porque muitas atividades ficaram proibidas, e o turismo de negócios também foi prejudicado por causa da redução da atividade econômica, que foi muito forte. Tivemos uma redução muito grande no fluxo de voos para cá, com menos de 10% de voos normais. O Espírito Santo recebe, em tempos normais, cerca de 80 voos no aeroporto e chegamos a ter 10 voos durante o período da pandemia. Os hotéis chegaram a ter 10% de ocupação. Estamos retomando devagar a atividade econômica”, disse.

Foto: Reprodução Parques estaduais, como o de Itaúnas, já foram autorizados à reabertura

Para ele, atividades realizadas por empresas, como a do Alexandre e a do Francisco, são importantes para fomentar o turismo no Espírito Santo. “As empresas têm um papel importante a fazer, no sentido de adotar os protocolos de segurança e compartilhar conosco atividades de promoção e divulgação de estímulo e passar confiança ao turista. Isso é muito importante para dizer que o turista pode vir para cá e fazer do Espírito Santo sua primeira opção de viagem pós-pandemia. Também para o próprio capixaba, que precisa se sentir seguro de procurar aquela pousada, aquela cachoeira bacana para passear e descansar”, afirmou.

Estímulo ao Turismo

Foto: Divulgação

Para estimular a retomada do turismo no Espírito Santo, a Secretaria de Estado do Turismo (Setur) incentiva a adoção do selo Turismo Responsável, Limpo e Seguro, criado pelo Ministério do Turismo. O selo é um incentivo para que os consumidores se sintam seguros ao viajar e frequentar locais que cumpram protocolos específicos para a prevenção da covid-19, posicionando o Brasil como um destino protegido e responsável.

No Espírito Santo, até esta quinta-feira (17), 445 empresas do segmento de turismo se apresentam como adequadas às normas sanitárias de prevenção ao novo coronavírus. O levantamento reúne dados relativos à adesão ao selo Turismo Responsável Limpo e Seguro, recomendado pelo governo do Estado.

No ranking das 15 atividades que compõem o segmento, a adesão às normas é maior nas agências de viagem, meios de hospedagem, guias de turismo, restaurante, cafeterias e bares, transportadoras turísticas e organizadores de eventos, respectivamente. O maior volume de adesão é percebido nos estabelecimentos localizados em Vitória, Vila Velha, Guarapari, Serra, Cariacica, Aracruz e Itaúnas, que fica no município de Conceição da Barra.

Além das recomendações sanitárias aos empreendimentos, estão disponíveis as normas sanitárias aos turistas. “Cabe ao turista estar atento ao cumprimento por parte dos empresários e também cumprir as regras que cabem a cada um de nós, tendo, principalmente, o respeito ao próximo”, enfatiza o secretário de Turismo.

Para solicitar o selo Turismo Responsável Limpo e Seguro, o interessado deve acessar o site www.turismo.gov.br/seloresponsavel, ler as orientações previstas no protocolo destinado ao segmento em que atua e estar com a situação regular no Cadastur. Em caso positivo, ele deve aderir à autodeclaração que atende aos pré-requisitos determinados. Em seguida, será encaminhado para uma área do site onde pode realizar o download do selo para impressão.

O selo, que é totalmente gratuito, deverá ser colado em local de fácil acesso ao cliente e conterá um QR Code, por meio do qual o turista poderá consultar as medidas adotadas por aquele empreendimento e/ou profissional. Além disso, possibilitará a realização de denúncias em caso de descumprimento, o que poderá resultar em revogação do selo.

*Com informações da Secretaria de Estado do Turismo

Últimas