Folha Vitória Entenda porque é importante doar sangue durante a pandemia

Entenda porque é importante doar sangue durante a pandemia

Pesquisa estima redução de 15% a 20% da doação de sangue nos hemocentros durante a pandemia

Folha Vitória
Foto: Banco de Imagens
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que as transfusões de sangue salvam milhões de vidas todos os anos. Em contrapartida, as doações tiveram queda significativa, entre 15% a 20% de redução durante a pandemia, de acordo com dados do Ministério da Saúde. 

Além do sangue, outros materiais provindos dele, como por exemplo, as plaquetas, são capazes de apoiar pacientes oncológicos, mães e bebês recém-nascidos, pessoas com deficiências imunológicas, procedimentos cirúrgicos e, atualmente, auxiliam pacientes diagnosticados com Covid-19, que também podem necessitar desse tipo de doação. 

Para o patologista João Cremasco, a doação sanguínea é um apoio essencial para diversos tratamentos e casos clínicos. Ele afirma que os doadores cumprem papel importante para a saúde coletiva. 

“O componente sanguíneo é utilizado em vários casos, transfusão durante cirurgias, partos, tratamentos oncológicos em que também são usadas as plaquetas para alguns pacientes. Para isso, é necessário termos doadores assíduos, visto que, o sangue tem validade e a demanda é diária, principalmente, neste período pandêmico”, comenta.

Requisitos para doar

Ainda segundo o especialista, alguns requisitos devem ser cumpridos para se tornar um doador de sangue. 

“É fundamental estar bem de saúde, ter entre 18 e 65 anos, pesar mais de 50kg, não ser portador de doenças crônicas, não ter comportamento de risco para doenças sexualmente transmissíveis. Ter um histórico de alimentação balanceada também será ponto positivo para realizar a transfusão. Para efetivar a doação é necessário, ainda, ter em mãos documento de identificação com foto”, ressalta.

Doação durante a pandemia

De acordo com informações da Secretaria de Saúde do Espírito Santo, durante este período de pandemia, os atendimentos dos hemocentros acontecem, preferencialmente, por meio de agendamento, a fim de evitar aglomerações.

Cremasco afirma a importância de redobrar os cuidados de higiene, como o uso da máscara e álcool gel, para dar continuidade às doações. 

“Para pessoas que tiveram diagnóstico confirmado de Covid-19 e se recuperaram, é preciso esperar 30 dias após o término dos sintomas para realizar a doação. Aquelas que apresentaram sinais gripais, devem procurar um médico antes de fazer o procedimento. Para os que estão aptos, basta manter as medidas protetivas e ir até o hemocentro mais próximo para realizar as transufões”, afirma.

Últimas