Folha Vitória ES deve receber 600 mil doses em maio e governo espera acelerar vacinação contra a covid-19

ES deve receber 600 mil doses em maio e governo espera acelerar vacinação contra a covid-19

Vacinas serão usadas para a aplicação em grupo de pessoas com comorbidades, que será dividida em duas fases

Folha Vitória
Foto: Divulgação/ Sesa
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O mês de maio deve ser de aceleração na campanha de imunização contra a covid-19 no Espírito Santo. Pelo menos esta é a expectativa do secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, que informou nesta sexta-feira (30) que o Estado deve receber 600 mil doses de imunizantes. As vacinas serão destinadas para as pessoas com comorbidades. 

Segundo o secretário, o objetivo é que todos deste público-alvo  - um número de quase 500 mil pessoas - recebam a primeira dose até o fim de maio. 

"Temos a expectativa de que ao longo do mês de maio, não havendo frustrações para a entrega de insumos na Fiocruz e no Butantan, pode haver a entrega de 600 mil doses das vacinas no Espírito Santo. Isso permitirá que o estado consiga avançar na imunização plena com a primeira dose da covid-19 em praticamente todo o público-alvo da população com comorbidades desenhado pelo Ministério da Saúde", disse.

Nésio Fernandes ainda explicou que há definições constantes para acelerar o processo de vacinação nos municípios capixabas. 

"Acreditamos que maio representará um mês com maior dimensão da imunização no nosso Estado e, por isso, temos realizado reuniões constantes com os secretários municipais de saúde para desenharmos a ampliação das capacidades de vacinação e, de fato, caminhamos para o momento de muita esperança com a melhora da disponibilidade de doses da vacina contra a covid-19 no Espírito Santo", disse.

Doses da Coronavac

Sobre as cidades que estão sem doses para aplicação da segunda dose da Coronavac, Nésio Fernandes afirmou que, nos próximos 15 dias, o Espírito Santo deverá receber um estoque capaz de suprir a aplicação da vacina nos pacientes que já tomaram a primeira. Atualmente, mais de 40 cidades estão sem doses.

Comorbidades

Durante a coletiva, o secretário explicou que pessoas com Síndrome de Down, deficiência intelectual, fibrose cística, além de gestantes, puérperas, pessoas com obesidade mórbida e também aquelas em tratamento renal serão atendidas na primeira fase da vacinação do Estado.

"Toda população do Espírito Santo que possua Síndrome Down, qualquer deficiência intelectual, fibrose cística, serão imunizadas neste momento entre as faixas de 18 a 59 anos. Da mesma forma, as gestantes, puérperas e as pessoas com obesidade mórbida, com índice corporal acima de 40, serão alcançadas na primeira fase da imunização. As pessoas em tratamento de terapia renal, de 18 a 59 anos, também serão alcançadas na primeira fase. Já na segunda, serão alcançadas as pessoas com demais comorbidades", explicou.

A resolução que vai definir as fases para aplicação da vacina do grupo deve ser publicada ainda nesta sexta-feira (30). Na segunda fase da campanha, serão aplicadas as doses em todas as pessoas que convivem com qualquer outro tipo de comorbidade. Neste grupo, será vacinada a população em ordem decrescente de idade, começando pelo grupo de 50 a 59 anos.

Comprovação

Ainda nesta sexta-feira, a Sesa também vai divulgar quais documentos serão necessários para que as pessoas comprovem as comorbidades. Durante a coletiva, no entanto, o subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, citou exemplos do que alguns grupos já podem providenciar.

"A grávida, quando tem um adiantado estado de gravidez, que já aparece a barriga, não há necessidade da comprovação. Mas para comorbidade, sim. De maneira geral, para as doenças cardiovasculares, pulmonares e outras doenças raras, há necessidade de um laudo que ateste essa doença. Para doença cardiovascular, por exemplo, precisamos de um detalhamento do nível de pressão alta. Então é procurar se informar e já providenciar esses comprovantes", orientou.

Veja a coletiva na íntegra:

Últimas