Folha Vitória Escolas que funcionarem como locais de votação não terão aulas presenciais na segunda-feira

Escolas que funcionarem como locais de votação não terão aulas presenciais na segunda-feira

O motivo, segundo o secretário estadual de Educação, Vitor de Angelo, é a necessidade de se realizar a devida higienização desses ambientes

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

As aulas presenciais estão suspensas, na próxima segunda-feira (16), nas escolas estaduais que funcionarem como locais de votação nas eleições de domingo (15). A informação foi divulgada pelo secretário de Estado da Educação, Vitor de Angelo, durante uma coletiva de imprensa, realizada nesta sexta-feira (13).

O motivo, segundo o secretário, é a necessidade de se realizar a devida higienização desses ambientes, uma vez que a expectativa é de que muitas pessoas circulem nessas unidades durante o domingo de eleições. De acordo com Vitor de Angelo, essa situação engloba a maior parte das escolas estaduais.

"Por determinação da Sedu, as escolas que funcionarem como local de votação permanecerão fechadas na segunda-feira apenas, para que, com tempo e com calma, possamos organizar todo mobiliário e fazer a devida limpeza e higienização dos ambientes, considerando também o número de pessoas que, na véspera, terá certamente circulado em cada uma dessas unidades", destacou o secretário, durante a coletiva.

Casos de covid-19 nas escolas

De acordo com a Secretaria de Estado da Educação (Sedu), 648 pessoas, entre estudantes e funcionários das escolas, foram infectadas pelo novo coronavírus após o retorno das aulas presenciais no Espírito Santo. O número corresponde à soma de todos os casos registrados no ensino superior e nas escolas das redes pública e particular.

Ainda segundo a Sedu, dos 36 mil estudantes da rede estadual que retornaram às atividades presenciais, há cerca de um mês, 0,07% (26 alunos no total) testaram positivo para a covid-19. Com relação aos profissionais da educação, o percentual dos que foram infectados pela doença foi de 2,3% — 300 no total.

Em uma análise geral, segundo Vitor de Angelo, o percentual de alunos e profissionais da educação infectados é baixo. "Do ponto de vista estatístico, são percentuais muito baixos. E nada disso indica que as escolas, ao contrário do que muitas pessoas podem eventualmente pensar, constituem o vetor de propagação da covid-19. Pelos percentuais e pelos números, tudo indica o contrário. De tal modo que uma reflexão precisará ser feita nas próximas semanas sobre os protocolos de abertura e fechamento de diversas atividades, incluindo a educacional", disse o secretário.

"Até que ponto, diante dessas informações, nós deveremos fazer como a Europa está fazendo agora, em caso de uma segunda onda? Vamos analisar se vamos fechar outras atividades, preservando a escola, entendendo não só a importância dessa atividade, mas o fato de que ela, à luz dos números, não parece ser um vetor de propagação da covid-19", completou.

Ainda segundo a avaliação dos números, colhidos durante o retorno das aulas presenciais no Estado, não há conclusões de que alunos transmitiram a doença para professores, visto que o percentual de alunos positivados tende a zero, de acordo com Vitor de Angelo. Até o momento, três escolas estaduais foram fechadas por conta dos casos da doença. 

Confira os casos registrados até o momento no Espírito Santo:

- Ensino superior: 87 estudantes e 39 profissionais confirmados;

- Escolas estaduais: 26 estudantes e 300 profissionais confirmados;

- Escolas particulares: 70 estudantes e 126 profissionais confirmados.

Últimas