Folha Vitória Especialista explica os benefícios para mulheres em fortalecer os braços

Especialista explica os benefícios para mulheres em fortalecer os braços

Muitas mulheres não gostam de treinar braços por receio de ficarem muito musculosas. Médico explica a importância de dar uma atenção especial para essa região

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Você é daquelas que não gosta de treinar braços para não ficar muito musculosa? Saiba que isso é um mito! De acordo com o nutrólogo Eduardo Rauen, esses exercícios deixam os músculos mais densos, ou seja, com a aparência de definido, mas sem o aspecto de inchaço. "Quando percebemos em alguém braços grandes, geralmente é por acúmulo de gordura. A musculação não faz isso", diz.

Para quem não gosta dos treinos dos membros superiores, o médico explica a importância da atenção para essa região, tanto pela estética quanto pela própria saúde: "É preciso treinar essa região até mesmo para prevenir a osteoporose, porque a musculação fortalece também os ossos".

>> Para quem ainda não se convenceu da importância desse fortalecimento, o médico tira as principais dúvidas sobre o assunto a seguir.

1 - Muitas mulheres não gostam de malhar membros superiores porque dizem que ficariam muito musculosas. As mulheres realmente ganham massa muscular fácil ou isso é um mito? 

"Isso é um mito. Existe esse medo de que, ao malhar os membros superiores, eles ficarão muito fortes, mas acho que é cultural. Quando nós comparamos a gordura e o músculo somente pelo tamanho, percebemos que o volume que o músculo ocupa no corpo é menor, por ele ser mais denso. Quando vemos aquele braço grande, geralmente a pessoa tem acúmulo de gordura na região. A musculação não faz isso, ela deixa o músculo mais denso, ou seja, menos volumoso e com aspecto definido". 

2 - Melhora da postura, melhor execução de exercícios dos membros inferiores. Quais os reais benefícios do fortalecimento dos membros superiores?

"Quando falamos em treinar apenas membros inferiores ou membros superiores, não conseguimos fazer esta separação. O nosso organismo tem de fazer um treinamento como um todo. Podemos, sim, priorizar alguns exercícios de perna para as mulheres, mas o que não podemos é negligenciar o trabalho dos membros superiores, porque o músculo é um órgão endócrino que produz vários hormônios que beneficiam a saúde, diminuindo o risco de doenças, aumentando o metabolismo e protegendo contra a obesidade".

3 - É possível perder gordura com treinamento de força?

"É importante destacar que não é obrigatório treino aeróbico para queimar gordura. Quando realizamos um treino de musculação, vamos, em médio e longo prazo, aumentando a taxa metabólica basal, ou seja, a quantidade de calorias queimadas em repouso. Quando se tem uma taxa metabólica mais alta, pode ocorrer de, mesmo comendo a mesma quantidade, você não engordar e até perder peso. É comum as pessoas pensarem de imediato: "se eu fizer uma hora de aeróbico, gasto mais calorias do que em uma hora de musculação". Em um primeiro momento, sim. Só que, no prazo de três a seis meses, a pessoa que está treinando uma hora de musculação terá gasto total maior de quem só faz o aeróbico". 

4 - A musculatura fortalecida pode evitar possíveis problemas de mobilidade? Por que isso acontece?

"A fragilidade do idoso pode ser detectada por meio da sarcopenia, um diagnóstico após os sessenta anos que identifica a falta de força e volume muscular, acarretando na diminuição da mobilidade. Uma forma de evitar o problema é treinamento preventivo, para que não ocorra esse déficit de massa muscular lá na frente".

De acordo com o médico, hoje existem equipamentos que ajudam no crescimento da massa muscular. O Emsculpté um exemplo. Uma tecnologia que usa campo magnético para fazer uma contração na região, resultando no aumento de massa muscular. "São contrações supra máximas, ou seja, acima do que nós conseguimos no próprio exercício, e que ajudam, principalmente, pacientes que têm dificuldade muito grande de treinar, que possuem dores articulares, que têm alguma doença que impeça a execução do movimento ou até mesmo os mais preguiçosos. Mas é importante destacar que devemos sempre, com orientação profissional, realizar atividades físicas, aeróbicas e de força, para mantermos a saúde em dia", disse Eduardo Rauen.

Últimas