Folha Vitória Espírito Santo quer comprar 4 milhões de doses da vacina brasileira Butanvac

Espírito Santo quer comprar 4 milhões de doses da vacina brasileira Butanvac

Butantan pediu autorização à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar os estudos clínicos de fase 1 e 2 da vacina

Folha Vitória
Foto: reprodução/pixabay
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O governo do Espírito Santo demonstrou interesse na compra de 4 milhões de doses da Butanvac, vacina brasileira contra a covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan, em parceria com um consórcio internacional, e que deverá estar disponível para a população brasileira a partir de setembro. A informação foi divulgada pelo governador Renato Casagrande, durante um pronunciamento feito na noite desta sexta-feira (23).

O governador esteve em São Paulo, nesta sexta, onde visitou o parque fabril do Butantan. Na próxima segunda-feira (26), Casagrande deve encaminhar um ofício ao instituto para solicitar oficialmente a reserva das doses da Butanvac, quando ela estiver pronta.

Por enquanto, o imunizante está em fase de testes. Na manhã desta sexta, o Butantan pediu autorização à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar os estudos clínicos de fase 1 e 2 da vacina.

"Essa vacina poderá estar disponível a partir de setembro. Não sabemos se até setembro nós teremos um ritmo muito acelerado da vacinação no Brasil. Com a nova vacina, temos alternativas para que a gente possa agilizar a vacinação no Espírito Santo, se conseguimos comprar as vacinas. Nenhum estado conseguiu comprar, porque são poucos fornecedores. Mas nós estamos buscando fornecedores e, se em algum momento eles nos atenderem, vamos continuar recebendo vacinas do Ministério da Saúde e agilizar a imunização com as vacinas compradas", ressaltou Casagrande.

Entretanto, caso consiga adquirir as doses da vacina, o governo do Estado poderá repassá-las ao Ministério da Saúde, caso o órgão federal faça o ressarcimento do valor desembolsado pelo Executivo estadual. Nesse caso, as doses seriam aportadas ao plano nacional de imunização. Segundo Casagrande, esse procedimento foi acordado entre todos os governadores brasileiros.

Casagrande citou o caso do Consórcio Nordeste, que conseguiu comprar 37 milhões de doses da vacina russa Sputnik V, cuja liberação ainda não foi concedida pela Anvisa. Caso haja a autorização da agência e o governo federal pague ao consórcio pelos imunizantes, as 37 milhões de doses serão aportadas no plano nacional de imunização.

"Nós aqui também estamos tentando comprar. Se a gente conseguir e o ministério ressarcir o dinheiro para o governo do Estado, a gente aporta no plano nacional de imunização. É um acordo feito entre todos os estados, para ter esse comportamento caso haja o ressarcimento por parte do governo federal. Mas se a gente conseguir comprar e o Ministério da Saúde não precisar dessas vacinas, nós vamos aplicar aqui nos capixabas", frisou o governador.

Parceria

Durante a visita ao Butantan, Casagrande também demonstrou interesse de uma parceria entre o instituto e o Laboratório Central do Estado (Lacen), que prevê um intercâmbio de pesquisadores e investimentos.

"Essa parceria pode ir preparando o Estado do Espírito Santo para que a gente dê passos adiante com relação ao desenvolvimento de novos produtos, produção de medicamentos no futuro. É um passo inicial que estamos dando para que, com o tempo, o Espírito Santo possa também ter mais autonomia em produção de medicamentos", destacou o governador.

Ainda segundo Casagrande, o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, se mostrou aberto aos pedidos da comitiva capixaba. Nos próximos dias, equipes de trabalho do Lacen e do Butantan vão começar a preparar as ações iniciais dessa possível parceria.

“É uma satisfação imensa recebê-los no Instituto. Vamos trabalhar para atender todos os pleitos e cooperações o mais rápido possível. O capixaba pode ficar tranquilo, pois estamos abertos a essas cooperações. Digo o seguinte, que o momento é de oportunidades para a ciência para que o País sai forte e se prepare para as próximas epidemias, pois elas irão acontecer", disse Dimas Covas, durante a visita de Casagrande e demais integrantes do governo estadual.

Últimas