Folha Vitória Estresse está causando queda de cabelos? Veja quais tratamentos podem ser adotados

Estresse está causando queda de cabelos? Veja quais tratamentos podem ser adotados

Neste período de emoções 'a flor da pele' é preciso estar alerta a possíveis efeitos colaterais como a queda de cabelo

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O estresse é uma resposta natural do corpo, responsável pela agilidade de ação e pensamento quando se entende que há perigo. Assim, o organismo libera uma combinação de hormônios e substâncias químicas na corrente sanguínea, tais quais, cortisol, adrenalina e norepinefrina para que ele possa estar pronto para “se proteger”. 

O problema surge quando esse estímulo passa a ser constante, o que a longo prazo acaba sendo um catalisador de problemas como propensão à doenças cardiovasculares, problemas de pele e queda de cabelo, sintoma recorrente.

De acordo com o dermatologista Dr. Fábio Gontijo, qualquer tipo de modificação no funcionamento normal do organismo pode alterar o crescimento dos fios. Cirurgias, fraturas ósseas, dietas, e o estresse mental são exemplos de situações que podem levar à queda dos cabelos. “Este mecanismo é uma adaptação evolutiva, já que nos momentos em que o nosso corpo exige que todos esforços estejam voltados para o evento estressante, o crescimento do cabelo é colocado em segundo plano, levando à queda”, explica.

Em um momento onde a pandemia causada pelo novo coronavírus induz pessoas para um elevado nível de estresse e solidão, o dermatologista sugere atenção à quantidade de cabelo que vêm (VEM) sendo perdido ao longo do período. “Existe um limite de perda de até 100 fios por dia, entretanto este número é uma média. Cada paciente conhece sua normalidade, e em quase a totalidade dos casos, os próprios sabem dizer se o que está acontecendo com o corpo deles está normal ou não. Por isso, ao perceber uma perda anormal de fios, é preciso procurar o dermatologista”, recomenda.

Isso porque, mais do que um simples caso de estresse, é preciso investir outros possíveis causadores da queda de cabelo para ter um tratamento assertivo. “Há, inclusive, necessidade de solicitar exames de sangue na maioria dos casos. Além disso, é preciso dosar vitaminas e investigar determinadas doenças quando os cabelos caem, pois a queda é somente um sinal de que algo de diferente está acontecendo com nosso corpo”, diz Dr. Fábio Gontijo, que ressalta que o tratamento deve ser individualizado.

O médico dermatologista aponta que é possível prevenir a queda de cabelo provocada pelo estresse. Além de buscar uma saúde mental mais equilibrada por meio de atividades prazerosas ou capazes de liberar hormônios relacionados ao bem-estar, à exemplo da atividade física, é recomendado equilibrar a alimentação e os horários de sono. “Evitar a automedicação é fundamental, pois o que vemos muitas vezes é o paciente gastar rios de dinheiro com vitaminas sem ao menos saber qual é o déficit correto”, alerta Dr. Fábio Gontijo.

Últimas