Folha Vitória Estresse pode causar problemas cardíacos irreversíveis

Estresse pode causar problemas cardíacos irreversíveis

A alta liberação de hormônios em situações estressantes perturbam o organismo, provocando reações que vão desde o aumento da pressão arterial até ataques cardíacos fulminantes

Folha Vitória
Foto: Reprodução/Pexels
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Não é uma novidade que o estresse pode ser muito prejudicial à saúde, principalmente quando se fala do sistema cardiovascular. Mas afinal: como o estresse, de fato, pode influenciar nos problemas de coração? Segundo especialistas, as tensões emocionais são as grandes causadoras de problemas cardíacos.

De acordo com a cardiologista Kátia Vasconcellos, "a alta liberação de hormônios em situações estressantes perturbam o organismo, provocando reações que vão desde o aumento da pressão arterial até ataques cardíacos fulminantes". 

Isso significa que os hormônios liberados em uma crise de estresse podem provocar danos irreversíveis à saude, podendo levar inclusive à morte.

Estresse é uma defesa do organismo

Ainda segundo especialistas, o estresse é a forma como o corpo reage às situações extremas, e por isso é considerado uma defesa do organismo, essencial para a sobrevivência. Ele aumenta a circulação de sangue para os membros inferiores quando é necessário correr de algum perigo, por exemplo.

“A gravidade do problema surge quando o estímulo do estresse se torna crônico, ou seja, a pessoa está constantemente vivendo sob ele. Chega um momento em que o indivíduo não consegue mais elaborar estratégias para resolver os problemas no trabalho, as crises financeiras ou os relacionamentos interpessoais conturbados. O organismo não responde a esses reveses da forma esperada e é aí que o corpo começa a manifestar problemas de saúde, muitas vezes irreversíveis, como os ataques cardíacos”, disse ela.

Quando o problema torna-se crêonico, momentos de muito estresse fazem com que o corpo passe a liberar certos tipos de hormônios em grandes quantidades. Um desses hormônios é a adrenalina, que entre outras coisas, aumenta os batimentos cardíacos e a pressão arterial. 

A médica também disse que, nestas situações, ainda há o aumento da liberação de cortisol. Um estudo publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism,  diz que no caso das pessoas já possuem doenças cardiovasculares, esse hormônio pode aumentar o risco de morte em até cinco vezes.

“O estresse também agrava o quadro de arritmia cardíaca, que é quando os batimentos cardíacos ficam desregulados. Quando um batimento acontece antes do que deveria, por exemplo, ele envia para o organismo uma quantidade de sangue inferior ao que seria esperado. A arritmia pode provocar falta de ar ou até uma síncope”, alertou Kátia.

O estresse pode ser evitado?

Normalmente, as situações que causam estresse estão fora de controle. Mas é possível prevenir os casos crônicos, impedindo que as tensões se acumulem.

Para isso, é importante investir em uma alimentação balanceada, praticar atividades físicas regulares, priorizar sempre uma boa noite de sono em um ambiente livre de ruídos e prestar atenção na respiração.

Por fim, procure exercitar a capacidade de reagir melhor ao que desencadeia o estresse para evitar os problemas de coração.

Últimas