Folha Vitória Ex-namorado suspeito de matar estilista capixaba é preso em MG oito anos após o crime

Ex-namorado suspeito de matar estilista capixaba é preso em MG oito anos após o crime

Cenimara de Freitas Cortes Ribeiro morreu, em 2013, após ser baleada, em Baixo Guandu, no Noroeste do Espírito Santo

Folha Vitória
Foto: Divulgação/ Polícia Civil
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O homem suspeito de matar a ex-namorada no Noroeste do Espírito Santo, em 2013, foi preso nesta quarta-feira (21) em Minas Gerais. De acordo com as investigações, a estilista Cenimara de Freitas Cortes Ribeiro teria recebido ameaças do suspeito antes de ser morta. 

O crime aconteceu no município de Baixo Guandu, há oito anos. O suspeito foi preso pela Polícia Civil mineira no município de Ervália, durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão.

Na época do crime, a vítima havia acionado a polícia após alguém ter ateado fogo na porta da casa dela. Segundo o boletim de ocorrência feito na ocasião, Cenimara suspeitava que o autor do crime fosse o ex-namorado.

Ainda de acordo com o boletim de ocorrência registrado pela vítima, o suspeito teria feito ameaças por telefone, pois ele não aceitava o fim do relacionamento.

Após o fim da ocorrência, a polícia foi acionada novamente. A mulher foi encontrada baleada com três tiros. Cenimara chegou a ser socorrida e levada para um pronto socorro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Investigação do caso já dura oito anos

Há oito anos, as polícias civis capixaba e mineira realizaram um trabalho integrado de investigação. Nessa quarta-feira (21), a Polícia Civil de Minas Gerais foi até a casa do suspeito, em Viçosa, Minas Gerias, para cumprir um mandado de busca e apreensão. 

Segundo as investigações, ele estaria mantendo uma mulher em cárcere privado. 

No local, os policiais encontraram os familiares do rapaz que, inicialmente, negaram que o ele estava na casa. No entanto, quando os policiais avisaram que iriam revistar a residência, os parentes assumiram que o suspeito estava no local.

De acordo com o titular da Delegacia de Polícia de Baixo Guandu, delegado Hedson Felix, no momento em que foi localizado, o suspeito apresentou documentos falsos. 

"Após ter ciência de que os policiais sabiam da sua verdadeira identidade, ele acabou confessando. Contra ele, havia um mandado de prisão preventiva em aberto por homicídio e ele estava com uma arma que, possivelmente, foi usada no dia do crime em 2013”, ressaltou o delegado.

A mulher, que supostamente estaria em cárcere privado, negou todos os fatos.

Além do cumprimento do mandado, o rapaz foi autuado em flagrante por pose ilegal de arma de fogo e falsa identidade. Ele foi levado ao sistema prisional mineiro e será, posteriormente, encaminhado para o Espírito Santo.

Últimas