Folha Vitória Exame pode confirmar denúncia de que crianças foram agredidas antes de crime no Noroeste do ES

Exame pode confirmar denúncia de que crianças foram agredidas antes de crime no Noroeste do ES

Uma testemunha contou para polícia que as crianças de 11 e 6 anos teriam sido agredidas antes de serem esfaqueadas em São Gabriel da Palha

Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O clima de tristeza permanece na cidade de São Gabriel da Palha, no Noroeste do Espírito Santo, dois dias após o assassinato de duas crianças. Um adolescente, de 16 anos, é o principal suspeito do crime. 

Há cerca de 200 quilômetros da capital, Vitória, a cidade tem quase 40 mil habitantes. Na quarta-feira (27), os moradores que sempre consideraram o lugar pacato, viram a tranquilidade ir embora.

LEIA TAMBÉM: Suspeito de assassinar crianças no Noroeste do ES diz à polícia que pretendia cometer outro crime

Duas crianças foram assassinadas com golpes de faca. Uma delas, de 11 anos, é irmã do suspeito. Já a outra vítima, de 6 anos, é primo do adolescente. 

Uma moradora da região contou que nunca tinha visto algo parecido. Ela relatou que ficou espantada com a crueldade do duplo homicídio. A aposentada estava em casa e ouviu os gritos das crianças. Mais tarde, ela soube da tragédia.

"Ninguém esperava isso. Até porque a gente conhecia o menino, ele foi criado aqui no bairro. Não tenho nada para falar dele. Muitas vezes vi ele indo e voltando da escola. Eu escutei muitos gritos. Falei com meu irmão para ir lá, ver o que estava acontecendo", disse. 

Outra moradora relatou que há dez anos mora próximo da casa do suspeito. Desde o dia do crime, a mulher só consegue pensar na dor das crianças e da família.

"Essas crianças gritavam muito. Eu e meu marido descemos correndo do nosso prédio. Quando chegamos lá, o autor do crime já estava na rua com as duas facas. Ninguém consegue entender o porquê ele fez isso", contou. 

LEIA TAMBÉM: VÍDEO | Bombeiros fazem homenagem a menino de 6 anos assassinado em São Gabriel

Uma conhecida da menina de 11 anos contou que ela era muito amorosa. "Muito tranquila, muito quietinha. Passava de bicicleta perto de casa, com o cachorrinho. Sempre muito tranquila. Era um amor de criança".

Muitas questões sobre o crime precisam ser esclarecidas. Segundo a polícia, na quarta-feira, o adolescente teria saído de casa e consumido maconha. Por volta das 15h, ele voltou para casa. 

A irmã do adolescente, segundo a polícia, estava brincando no quarto e o primo foi até a residência acompanhado pela mãe. O menino foi até o cômodo onde estava a prima e os dois começaram a brincar. 

De acordo com a polícia, ainda não há detalhes sobre em que momento o adolescente decidiu matar as crianças. As testemunhas podem ajudar nas investigações. Uma delas contou para a polícia que a criança teria sido espancada antes de morrer. 

O delegado responsável pela investigação, Rafael Caliman, afirma que a suspeita é de que as agressões foram cometidas contra o menino. Ele conversou com a equipe de reportagem da TV Vitória/Record TV e contou que os corpos passaram por exames no Departamento Médico Legal. O resultado final irá apontar se as vítimas foram agredidas antes de serem mortas.

"A gente já se adiantou em solicitar o laudo cadavérico e pedimos que o exame de lesões fosse realizado. Esperamos que nos próximos cinco a dez dias o laudo esteja pronto. Acredito que isso vai ser levado em consideração pelo juiz na hora de firmar a reprimenda do adolescente", destacou. 

LEIA TAMBÉM: Adolescente suspeito de matar irmã e primo ficará 45 dias internado no Iases em Linhares

*Com informações da repórter Suellen Araújo, da TV Vitória/Record TV

Últimas