Folha Vitória Familiares de inspetor assassinado em Guarapari chegam ao ES para realizar sepultamento

Familiares de inspetor assassinado em Guarapari chegam ao ES para realizar sepultamento

O agente aposentado José Carlos Corrêa era natural do Rio Grande do Sul e decidiu morar no Espírito Santo em busca de tranquilidade

Folha Vitória
Foto: Reprodução / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Familiares do inspetor penitenciário José Carlos Corrêa vieram para o Espírito Santo para liberar o corpo e realizar o sepultamento da vítima. José, que era natural do Rio Grande do Sul, foi assassinado no centro de Guarapari. O sepultamento será feito em terras capixabas, como forma de homenagem ao agente.

A alegria, a tranquilidade e o amor por viagens, de acordo com a família, serão marcas eternas de José Carlos Corrêa. Porém, toda essa alegria foi interrompida na última quinta-feira (13), quando o idoso foi assassinado a tiros em Guarapari.

O inspetor era da cidade de Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul, e mudou-se para Guarapari em outubro de 2019. Segundo familiares, ele escolheu a cidade justamente pela tranquilidade. 

O filho da vítima, Robson Corrêa, conta que o pai tinha o costume de vir ao estado para escapar do frio do Sul do Brasil. "Ele viajou o país inteiro, por várias cidades no país. Conheceu Vitória, Guarapari, gostou muito da cidade, do acolhimento das pessoas e, durante invernos nossos, ele veio para o Espírito Santo antes de decidir morar de vez", disse. 

Mas o sonho de viver em paz foi interrompido. Até o momento não se sabe ao certo como foi a dinâmica do crime e nem porque o aposentado foi assassinado. 

Vizinhos contaram à Polícia Civil que a vítima tinha o costume de descer para a praia todas as manhãs. José Carlos ficava na areia tomando chimarrão e apreciando o mar. 

No entanto, a rotina foi quebrada por dois homens armados, que surpreenderam o aposentado e atiraram contra ele. O gaúcho foi morto com dois tiros no peito e outro no rosto.

Ainda de acordo com a polícia, os suspeitos carregavam uma mochila e fugiram no sentido da praça de Guarapari. A Polícia Militar fez buscas e, no caminho que o suspeitos fizeram, os militares encontraram a bolsa caída no chão e as blusas que eles trocaram para fugir. 

Homenagem ao agente gaúcho

A família de José Carlos decidiu fazer o sepultamento do aposentado no Espírito Santo e ele será enterrado no cemitério de Maruípe, em Vitória. O filho de José Carlos explica que a decisão foi tomada como forma de homenagem ao pai, que decidiu morar em solo capixaba, local que tanto amava.

O filho de José Carlos disse que toda a família está em choque com o que aconteceu e fez um agradecimento aos amigos que o pai fez no Estado. "Estamos perplexos e eu gostaria de agradecer às pessoas que aqui o acolheram. Aqui ele fez muita amizade e, por isso, também escolheu como lugar para viver. Também gostaria de agradecer às amizades que ele fez em outros lugares, mas trouxe para cá", disse o filho Robson.

Investigação

A bolsa e as camisas dos suspeitos foram apreendidas e levadas para a delegacia. O cão da Polícia Militar ajudou nas buscas pela areia da praia e nas pedras, mas os criminosos não foram encontrados.

O caso segue sob investigação da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Guarapari, que vai identificar a autoria e a motivação para o crime.

* Com informações da repórter Mayra Bandeira, da TV Vitória/Record TV.

Últimas