Folha Vitória Fisioterapia pélvica ajuda na recuperação do câncer de próstata

Fisioterapia pélvica ajuda na recuperação do câncer de próstata

Técnica ajuda a evitar complicações que o pós operatório pode causar, como a incontinência urinária e a disfunção erétil

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O câncer de próstata, tipo mais comum entre os homens, é a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

A boa notícia é que a fisioterapia pélvica e a evolução das suas técnicas têm apresentado grandes soluções para melhorar a recuperação dos pacientes, após a cirurgia. 

De acordo com a fisioterapeuta pélvica, Raquel Pompermayer, o tratamento para o câncer de próstata pode causar:

- incontinência urinária (perda de urina);

- disfunção erétil;

- fadiga (pacientes com bloqueio hormonal).

“O profissional avalia o histórico do paciente, considerando queixas e alterações, para propor um tratamento dentro de técnicas comportamentais, de cinesioterapia, como exercícios para a musculatura da região pélvica, estimulação elétrica, biofeedback, ondas de choque, entre outros recursos. Todo o trabalho é realizado de forma multidisciplinar, envolvendo também o acompanhamento psicoterapêutico”, pontua.

Dentre os benefícios do tratamento fisioterapêutico estão a melhora da qualidade de vida dos pacientes, uma vez que atua no controle da incontinência urinária, na percepção corporal e na vida sexual, além da diminuição da fadiga para os pacientes que realizam bloqueio hormonal.

“A fisioterapia pélvica também pode ajudar no pré-operatório com o preparo da musculatura do assoalho pélvico, colaborando nos resultados das comorbidades do pós-operatório. Neste período de prática clínica, já vivenciei alguns casos marcantes, como o de um senhor de 71 anos prostatectomizado, com uma incontinência urinária severa - de molhar a cadeira do consultório - ter alta completamente continente. Outra situação foi de um homem que, além da incontinência, também apresentava queixa de disfunção erétil e com a fisioterapia pélvica obteve resultados fantásticos”, conta a especialista.

Entenda melhor o câncer de próstata

A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino, que pesa cerca de 20 gramas, e se assemelha a uma castanha. Ela localiza-se abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma. 

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Por isso, a forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. 

Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico).

Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. 

Outros exames poderão ser solicitados se houver suspeita de câncer de próstata, como as biópsias, que retiram fragmentos da próstata para análise, guiadas pelo ultrassom transretal. 

Últimas