Folha Vitória "Foi uma covardia", diz família de idoso morto após acusações de abuso sexual na Serra

"Foi uma covardia", diz família de idoso morto após acusações de abuso sexual na Serra

A família acredita que o homem tenha sido vítima de uma acusação falsa

Folha Vitória
Foto: Divulgação / Polícia Civil
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O idoso que foi agredido até a morte foi sepultado nesta terça-feira (01) no Cemitério de Carapina Grande, na Serra. Antônio Batista da Fonseca, de 74 anos, foi agredido com pedaços de madeira por populares após ser acusado por moradores de ter envolvimento em um caso de abuso sexual a uma criança. 

O crime aconteceu na noite do último domingo (30), no bairro Central Carapina, na Serra. A sobrinha de Antônio, Ivone Ferreira, contou que tentou defender o idoso, mas também foi agredida.  

"Eu fiquei com o braço todo machucado, com o corpo todo doendo. Eu fiquei tonta, meu filho estava atrás de mim e conseguiu me segurar. Nisso, eles foram para cima do meu tio".

LEIA TAMBÉM: Vídeo mostra momento em que idoso é agredido por populares

A mulher contou ainda que tentou conversar com os agressores para pedir que a polícia fosse acionada, mas ninguém deu atenção a ela. A família do idoso pede por justiça. "Só quero que seja feita Justiça. Ele era tranquilo, tinha 74 anos. Nunca fez nada. Isso foi uma covardia", disse a sobrinha.

Ainda segundo a família, as acusações começaram por conta de vingança envolvendo um celular e uma mulher com quem Antônio teria se relacionado. "Ele comprou um celular e deu para ela. Ela queria ir embora com o celular, aí inventou que meu tio tinha estuprado a filha dela. A população está achando que meu tio era estuprador, mas ele não era", afirmou a sobrinha. 

De acordo com parentes, o aposentado sempre negou as acusações. "Ele sempre negou. Dizia que não ia mudar do bairro porque não devia nada e que não tinha feito nada. Ele falava que esse pecado ele não carregava".

O caso continua sob investigação da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa da Serra e, até o momento, nenhum suspeito de cometer o crime foi detido.

*Com informações do repórter Arleson Schneider, da TV Vitória/RecordTV

Últimas