Folha Vitória Força tarefa: 400 bombeiros e policiais estão nas ruas fiscalizando praias e comércio

Força tarefa: 400 bombeiros e policiais estão nas ruas fiscalizando praias e comércio

O efetivo vai se juntar às equipes das prefeituras das cidades litorâneas

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Uma força tarefa composta por bombeiros, policiais militares e fiscais das prefeituras das cidades litorâneas começou a fiscalizar o comércio e as praias capixabas no primeiro dia de bloqueio total das atividades não essenciais no Espírito Santo. 

A fiscalização tem como objetivo o cumprimento das regras determinadas pelo governo estadual para os próximos 14 dias. O efetivo de 400 policiais militares e bombeiros se juntou às equipes dos municípios, formadas por guardas municipais, fiscais da Vigilância Sanitária e do Procon. 

As abordagens, que começaram em caráter educativo, poderão resultar em multa, fechamento do estabelecimento e até cassação da licença de funcionamento, caso haja reincidência. 

Em Cariacica, por exemplo, a multa para quem insistir em abrir lojas, bares e restaurantes, durante as medidas restritivas de circulação, é de 
R$ 1.748,06. 

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Alexandre Cerqueira, avalia que as regras podem ser duras, mas que são necessárias no contexto atual do país, uma vez que a pandemia atingiu níveis extremos e parece sair de controle.

"O Brasil está praticamente todo em risco extremo. A doença está disseminada e precisamos impedir que esse vírus se espalhe e acabe colapsando o sistema de saúde. Há uma parcela da população que reclama, que se revolta, mas a grande maioria, pelo que pudemos observar nessas primeiras horas, está cumprindo o decreto", reforçou Cerqueira.

O coronel acredita que com o passar dos dias a população irá entender que, mesmo sendo rígidas, há concessões. "O comerciante pode não abrir o estabelecimento, mas não é impedido de vender em sistema delivery ou em modo online, por exemplo", ponderou. 

As primeiras abordagens, segundo o coronel, foram bem recebidas. Ele reforçou que as operações serão corriqueiras e que a população deve denunciar, por meio do Disque-Denúncia da Polícia Civil, pelo 181, ou pelos canais de denúncias de aglomerações das prefeituras. 

Finais de semana

Segundo o comandante-geral dos Bombeiros, haverá fiscalização nas praias, já partir deste final de semana. De acordo com ele, o foco são as aglomerações que podem ser registradas nos balneários. 

"O cidadão não estará proibido de ir à praia, mas desde que sejam atividades individuais e que não estejam em desacordo com o decreto", disse Cerqueira. Estão proibidas aglomerações, festas, caixas de som,  esportes coletivos, uso de guarda-sol e cadeiras de praias. Os quiosques não poderão abrir e a venda de bebidas alcoólicas não serão permitidas. Quem insistir poderá ser retirado do local. 

Cerqueira planeja, inicialmente, abordagens educativas com apoio dos prefeitos das cidades litorâneas. 

"Nosso diálogo com os municípios é que eles façam conscientização, para que desestimulem as pessoas a procurarem a praia e os calçadões. O momento é de ficar em casa. A praia estará sempre à disposição quando tudo isso passar", reforçou o comandante-geral. 

Últimas