Folha Vitória Funcionárias de hospital são assaltadas ao saírem de plantão e se revoltam por não serem atendidas em delegacia

Funcionárias de hospital são assaltadas ao saírem de plantão e se revoltam por não serem atendidas em delegacia

De acordo com as vítimas, ao chegarem no DJP de Vila Velha, elas foram orientadas a registrar o boletim de ocorrência pela internet

Folha Vitória
Foto: TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Três mulheres, funcionárias de um hospital, foram assaltadas no Centro de Vila Velha, assim que deixaram o plantão. As vítimas ficaram revoltadas por não conseguirem registrar o boletim de ocorrência na Delegacia Regional de Vila Velha.

Elas contaram que saíram do hospital, seguiram para o ponto de ônibus e que ao chegarem ao local foram surpreendidas por três suspeitos armados. Os criminosos fugiram levando os celulares. Uma delas contou que o aparelho ainda não estava quitado.

Logo após o assalto, as vítimas entraram num ônibus. Elas contaram ao motorista o que havia acontecido. Para ajudá-las, o motorista mudou o trajeto e seguiu para o DPJ. Durante o percurso, as mulheres  chegaram a ver os suspeitos de bicicleta na Avenida Jerônimo Monteiro. 

Na Delegacia Regional de Vila Velha, as mulheres foram informadas que não conseguiriam registrar o boletim de ocorrência. Segundo elas, uma policial disse que por conta das medidas de fechamento total do comércio e de outras atividades, decretado por conta da pandemia, só estavam sendo atendidas, presencialmente, vítimas de crimes de estupro, furto e roubo de veículo e ocorrências de homicídio. Outros tipos de ocorrências deveriam ser registradas no site da polícia civil.  

Atendimento nas delegacias

A Polícia Civil informou que o atendimento nas delegacias não foi suspenso em nenhum momento e que, na última quinta-feira (18), todas as unidades policiais foram orientadas sobre o atendimento à população durante a quarentena decretada pelo Governo do Estado. 

Segundo a PC, os policiais devem gerenciar o atendimento presencial da população nas unidades da Polícia Civil, estabelecendo a entrada de apenas duas pessoas por vez, a fim de evitar aglomerações em suas dependências.  Desta forma, cidadãos que não tenham condições de fazer o registro por meio eletrônico podem se dirigir a qualquer unidade policial, explicou a PC.

Sobre o atendimento das funcionárias do hospital vítimas de assalto, na manhã de domingo (21), as mulheres foram orientadas sobre o risco de permanecerem em aglomeração no interior da unidade e orientadas, também, sobre o procedimento que deveriam adotar. 

A PC informou que qualquer cidadão pode formalizar sua reclamação por meio da Corregedoria, caso se sinta prejudicado no atendimento prestado em unidades da Polícia Civil. A Corregedoria vai apurar as circunstâncias do fato.

Ainda em nota, a Polícia Civil informou que, devido à pandemia do novo coronavírus, a população têm sido orientada que evite ir às delegacias físicas para registrar Boletim de Ocorrência, uma vez que unidades policiais são locais de grande circulação de pessoas, onde o risco de contágio deve ser minimizado. 

Para facilitar o atendimento, os cidadãos devem priorizar os registros de Boletim pela Delegacia Online no endereço http://delegaciaonline.sesp.es.gov.br. 

De acordo com a PC, a Delegacia Online é uma opção segura para registro de ocorrências. O Boletim Eletrônico vale da mesma maneira que o Boletim de Ocorrência registrado em uma delegacia física, ambos são documentos oficiais. Em casos de crimes em andamento, a Polícia Militar deve ser acionada, por meio do Ciodes 190.

*Com informações da repórter Nathalia Munhão / TV Vitória

Últimas