Folha Vitória Fusão de empresas cresce 48% no 1º semestre de 2021

Fusão de empresas cresce 48% no 1º semestre de 2021

Diversificação de mercado, fortalecimento de marca e escalabilidade estão entre as principais vantagens.

Folha Vitória
Foto: Divulgação/DINO
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A prática de fusões e aquisições está em alta no Brasil. Este processo é visto em todos os segmentos da economia, sendo um reflexo da transformação digital e do crescimento exponencial das empresas do comércio eletrônico, um dos setores mais aquecidos do país. Em 2020, fusões e aquisições de empresas movimentaram R$ 229 bilhões no Brasil e, no primeiro semestre de 2021, este mercado já cresceu 48%, alcançando a marca de R$ 258 bilhões, de acordo com os dados divulgados pela plataforma Transactional Track Record (TTRecord).

As corporações que optam pela fusão ou aquisição de uma outra empresa enxergam nessa prática uma oportunidade de crescimento, ganho de escalabilidade e maior presença no mercado. Redução de custos, aumento de receita e fortalecimento de marca também são outras vantagens deste processo.

União de expertises e mercado aquecido

A soma da força de mercado e da expertise de duas empresas ou mais é vista como estratégia para sobressair no mercado. “Uma fusão bem planejada, complementa e potencializa a expertise de ambas as empresas, e assim fortalece todas as unidades de negócios do grupo”, explica Welysson Soares, CEO da Proxys Group. Recentemente a empresa passou pelo processo de fusão com a ShopB, e-commerce especialista em games.

Pesquisas mostram que as operações de fusão continuarão em alta em 2022. De acordo com os dados apresentados pela Pesquisa ABES/BR Angels/Solstic Advisors, 86% dos empreendedores e executivos de alto escalão brasileiros acreditam que fusões são operações promissoras e que, dos profissionais entrevistados, 50,5% pretendem realizar transações como essas no próximo ano. 

O mercado de fusões e aquisições no Brasil já apresenta grandes movimentações mesmo antes da crise ocasionada pela pandemia de Covid-19. Apesar destas transações acontecerem com mais frequência agora, em 2019 já era possível enxergar o movimento das empresas em busca de mais espaço no mercado. Nesta época, o Brasil teve operações importantes como a aquisição da Nextel pela operadora Claro, a compra da Netshoes pela Magazine Luiza, entre muitos outros casos. 

Fusão é um processo delicado

Mesmo sendo comum, a fusão de empresas não é um processo simples. Desde a negociação até a união das estruturas, as empresas precisam planejar detalhadamente cada ação do projeto, já que qualquer erro pode resultar em problemas com colaboradores, com o mercado e até mesmo com os clientes. 

O Comitê de Change Management, responsável pelo projeto de fusão da Proxys Group e ShopB, integrado por profissionais e gestores de ambas as empresas, organizou todo o processo para que as mudanças fossem assertivas, benéficas para os colaboradores e sem impactos negativos na operação e na experiência dos clientes. "A cautela durante todo o processo de fusão de empresas é uma forma de minimizar os riscos deste tipo de operação. É recomendado que a empresa recorra a especialistas neste tipo de processo, com experiência em grandes fusões, para evitar danos às marcas", finaliza Gabriel Bollico, CDO da Proxys.

Últimas