Folha Vitória Governo diz que 20% dos cobradores voltam em dezembro e o restante até fevereiro

Governo diz que 20% dos cobradores voltam em dezembro e o restante até fevereiro

Plano detalhado sobre o retorno dos trabalhadores aos coletivos será enviado para o Sindirodoviários até a próxima sexta-feira, segundo a Semobi

Folha Vitória
Foto: Iures Wagmaker / Folha Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Cerca de 320 cobradores deverão voltar a atuar nos ônibus do sistema Transcol a partir de dezembro. A proposta foi apresentada pelas empresas que operam o sistema e validada pelo governo do Estado.

De acordo com a Secretaria Estadual de Mobilidade e Infraestrutura (Semobi), um plano detalhado sobre a retomada da atividade de cobrador nos coletivos será enviado para o Sindicato dos Rodoviários do Espírito Santo (Sindirodoviários-ES) até a próxima sexta-feira (24). O sindicato, por sua vez, terá até a próxima quarta-feira (29) para aceitar, rejeitar ou propor um novo acordo.

Segundo a secretaria, a ideia apresentada pelas empresas é iniciar essa retomada com a volta de 20% dos trabalhadores remanescentes do sistema a seus postos de trabalho, em dezembro. Atualmente, de acordo com a Semobi, 1,6 mil trabalhadores ainda estão registrados como cobradores no Transcol.

Em janeiro, outros 60% dos trabalhadores voltariam para os coletivos, o que representa aproximadamente 960. Os 20% restantes voltariam em fevereiro, quando todos os cobradores estariam de volta a seus postos.

Durante audiência de conciliação entre o governo estadual, os empresários do setor e o Sindirodoviários, na tarde desta terça-feira (21), o Tribunal Regional do Trabalho (TRT-ES) determinou a volta desses trabalhadores aos coletivos até o fim de 2021. Os ônibus com ar-condicionado continuam operando sem cobradores, como já era desde antes da pandemia.

O TRT também deu um prazo de 72 horas para que o governo e o Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória (GVBus) apresentassem um plano para o retorno dos trabalhadores.

Cerca de 3 mil cobradores foram afastados de seus postos de trabalho, em maio do ano passado, como medida do governo estadual para prevenir a disseminação da covid-19. Com isso, o pagamento das passagens passou a ser realizado apenas por meio do CartãoGV.

Desde então, o Sindirodoviários vem cobrando o retorno dos trabalhadores aos coletivos. O impasse gerado entre os rodoviários, empresários e governo fez com que os trabalhadores realizassem paralisações da circulação de ônibus e protestos na Grande Vitória.

Quase metade dos cobradores foi requalificada ou aderiu à demissão voluntária

Por meio de nota, a Semobi também informou que, do total de 3,2 mil cobradores que integravam o sistema Transcol em 2019, 47,5% foram contemplados pelo acordo que prevê a requalificação ou demissão voluntária dos trabalhadores. 

Desse total, 960 foram requalificados ou promovidos e absorvidos pelo próprio sistema Transcol em outras funções. Os outros 560 trabalhadores aderiram ao Plano de Demissão Voluntária.

Ainda segundo a secretaria, entre os cobradores requalificados, cerca de 480 atualmente são motorista/manobrista; 160 atuam na área operacional; 105 são porteiros; 100 assumiram o posto de fiscal; 75 trabalham na manutenção; 22 estão atuando nas áreas administrativas e 18 em bilheteria.

Já o GVBus informou, também por nota, que todas as empresas que operam o sistema Transcol estão cumprindo com os acordos firmados até aqui, qualificando e recolocando esses profissionais dentro do próprio sistema, ou realizando os programas de demissão voluntária dos mesmos. 

O sindicato das empresas destacou ainda que sempre esteve aberto ao diálogo, e que é de interesse das operadoras que essa questão seja resolvida o mais breve possível.

Últimas