Folha Vitória Governo do ES pretende aumentar para 900 o número de leitos de UTI para pacientes com covid-19

Governo do ES pretende aumentar para 900 o número de leitos de UTI para pacientes com covid-19

Atualmente, se forem considerados os leitos com potencial para receber esses pacientes, mas que hoje são usados para o tratamento de outras enfermidades, o Estado dispõe de 715 vagas em Unidades de Terapia Intensiva

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

As possíveis aglomerações durante as festas de fim de ano, as férias e o verão têm preocupado o governo do Estado, que alerta que esses eventos podem levar a um aumento ainda mais significativo no número de casos de covid-19 e, consequentemente, na taxa de ocupação de leitos exclusivos para o tratamento da doença. 

De olho nesse risco, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) anunciou que, até fevereiro, vai subir para 900 o número de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para a covid-19. No total, serão quase 200 leitos a mais do que havia em julho, quando o Estado ofertou a maior quantidade de vagas nas UTI's e também quando o número de pacientes internados nesses locais foi maior. 

Naquele mês, o Estado havia disponibilizado 705 leitos de terapia intensiva, sendo que 600 deles chegaram a ser ocupados. Atualmente, das 579 vagas de UTI existentes, 487 estão ocupadas. Entretanto, se forem considerados os leitos com potencial para receber pacientes com covid-19, mas que hoje são usados para o tratamento de outras enfermidades, esse número aumenta para 715.

Sobre a quantidade de leitos que a Sesa pretende disponibilizar até fevereiro, a maioria será com apoio do governo federal. O secretário estadual de saúde, Nésio Fernandes, disse, durante uma coletiva realizada na tarde desta segunda-feira (14), que até o fim da semana o Ministério da Saúde vai enviar 160 ventiladores mecânicos ao Espírito Santo. Os dez primeiros chegaram nesta segunda-feira.

O secretário também disse que o governo do Estado vai contratar leitos nas redes filantrópica e privada, na medida em que houver necessidade. Além disso, estuda adequar a maternidade de Serra, recém inaugurada, para atender pacientes infectados com o coronavírus. A maternidade tem 120 leitos disponíveis. 

Além disso, até o final desta semana, 40 leitos serão abertos no Hospital Estadual de Urgência e Emergência, em Vitória, para atender a outras enfermidades e ajudar a evitar a sobrecarga no sistema de saúde.

Nésio Fernandes também não descartou a possibilidade de suspender novamente as cirurgias eletivas na rede pública estadual. O secretário garantiu que não haverá colapso da rede de saúde, mas pediu o apoio da população. Ele recomendou que, nas cidades em risco moderado e alto, ninguém saia de casa após 22 horas e aos fins de semana.

"Chegando a 80% de ocupação na sexta-feira — que é o dia em que nós calculamos o Mapa de Risco — nos leitos potenciais, nós então praticamente teremos todos os municípios do Espírito Santo em risco moderado ou risco alto. Não teremos mais municípios no risco baixo. Da mesma maneira, se chegarmos a 90% de ocupação desses leitos, podemos passar a ter municípios no risco moderado, alto e alguns municípios no risco extremo", alertou.

Sobre o impasse quanto a um Plano Nacional de Imunização, o secretário reafirmou que o governo do Estado acredita na capacidade do Ministério da Saúde em coordenar o trabalho. No entanto, o governo capixaba também trabalha num plano B junto ao Instituto Butantã, para a aquisição de doses da Coronavac, vacina desenvolvida pelo instituto, em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

"A quantidade de mentiras divulgadas nas redes sociais pode impedir a medida sanitária de maior resultado na proteção das vidas. Independente do país de origem, dos insumos com que essas vacinas são desenvolvidas, defendam as vacinas", pediu Nésio Fernandes.

Com informações do repórter Alex Pandini, da TV Vitória/Record TV 

Últimas