Folha Vitória Grávida morta após tiro acidental disparado pelo marido esperava o primeiro filho do casal

Grávida morta após tiro acidental disparado pelo marido esperava o primeiro filho do casal

Marido da vítima, um agente da Guarda Municipal de Vila Velha limpava a arma em um escritório quando o disparo aconteceu

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Policial Civil recolhe arma, projétil e outros itens no apartamento em que morava o casal 

Um familiar que preferiu não se identificar e acompanha o marido de Carolina Ferraz Scalfoni, 36 anos, morta após ser atingida na barriga por um tiro acidental na noite desta quinta-feira (02), disse que, Luiz Roberto Ramalheite Pereira da Silva, agente da Guarda Municipal de Vila Velha, "está arrasado, também pelo fato de o bebê ser o primeiro filho do casal".

O acidente aconteceu na noite desta quinta-feira (02), no apartamento onde o casal mora, em Praia de Itaparica, Vila Velha. Na manhã desta sexta-feira (03) os parentes de Carolina, que estava grávida de quatro meses, estiveram no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa. Eles não quiseram gravar entrevista e disseram que irão se manifestar depois e por meio de nota.

De acordo com a Polícia Civil, o guarda disse que o momento do disparo aconteceu quando ele fazia a limpeza de uma arma em um escritório. Além de acertar a esposa, o tiro atingiu a mão do agente. As Polícias Militar e Civil foram acionadas e o casal foi socorrido, mas a gestante e o bebê não resistiram ao ferimento.

Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Carolina e Luiz Roberto foram socorridos e levados para o hospital, mas ela e o bebê morreram

Leia também:

>> Corregedoria vai apurar caso de agente da Guarda Municipal que matou esposa grávida

Agente foi autuado em flagrante por homicídio culposo

A Polícia Civil informou que o autor do disparo foi conduzido para o Plantão DHPP, onde foi autuado em flagrante por homicídio culposo, que é quando não há a intenção de matar. 

As diligências realizadas logo após o fato, assim como os depoimentos colhidos, indicaram que o disparo ocorreu de forma acidental. Por tratar-se de crime culposo, não há responsabilização pelo óbito do feto. Ainda segundo a polícia, o autuado pagou fiança estipulada pela autoridade policial e foi liberado para responder em liberdade.

Agora, o procedimento será encaminhado para a Divisão Especializada de Homicídio e Proteção à Mulher (DHPM), onde a apuração das circunstâncias do fato seguirão.

A Secretaria Municipal de Segurança Urbana informou que "a Corregedoria da Guarda Municipal vai apurar os fatos e instaurar processo administrativo disciplinar, com ampla defesa e contraditório preservando o respeito ao estado democrático de direito e os direitos e garantias individuais."

O velório e sepultamento de Carolina Ferraz Scalfoni acontece neste sábado (04), a partir das 07h30, no cemitério Parque da Paz, na Ponta da Fruta, em Vila Velha.

Leia mais:

>> Agente que matou esposa é autuado por homicídio culposo e liberado após pagar fiança

Últimas