Folha Vitória Ilha do Frade, em Vitória, ganha ecopostos para coleta seletiva

Ilha do Frade, em Vitória, ganha ecopostos para coleta seletiva

Moradores esperam combater o descarte irregular de lixo nas praias com a instalação de equipamentos para separação de material reciclável no local

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
A Ilha do Frade é acesso para a Baía das Tartarugas, considerada a primeira área de proteção ambiental da marinha capixaba 

A partir da próxima segunda-feira (19), frequentadores e moradores da Ilha do Frade, em Vitória, terão à disposição cinco pontos de coleta seletiva e mais 14 caixas de recebimento de material reciclável. 

A ação faz parte do projeto "Ecofrade", que estimula a educação ambiental e a adesão à práticas sustentáveis para diminuir o impacto ambiental sofrido pelas praias do local. 

"Muitas pessoas, por exemplo, usam o local como cenário de álbuns fotográficos para casamentos e formaturas. Elas vão embora e deixam na areia os acessórios de figurino e objetos que usaram na sessão de fotos e que não vão precisar mais. Esse material vai para o mar e prejudica a fauna e a flora local", aponta Talita de Pinho, diretora de Meio Ambiente da Associação dos Moradores Proprietários e Amigos da Ilha do Frade (Samifra).

Os equipamentos serão distribuídos a partir das 14h em pontos estratégicos da Ilha. Os chamados cinco Postos de Entrega Voluntária (PEVs) estarão voltados para recolher os resíduos das residências. Cada PEV tem capacidade para 2500 litros. Já as 14 caixas de coleta estarão dispostas aos pares, divididas entre sete para resíduos recicláveis e sete para não recicláveis, voltados para público frequentador das praias. Cada caixa tem capacidade de 240 litros. Também serão entregues placas de educação ambiental

Parceria com associação de catadores

Tudo o que for coletado ficará disponível para a Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis da Ilha de Vitória (Amariv). Os catadores ficarão responsáveis pela coleta, pelo transporte e pela reciclagem dos materiais recolhidos, além de participar das capacitações do projeto. Eles irão passar pelo bairro três vezes por semana. 

"A nossa intenção é incentivar com o projeto, além da destinação correta dos resíduos, uma sensibilização pelas questões ambientais junto aos catadores, aos moradores e também pescadores, quem trabalha na coleta de sururu e quem usufrui das belezas da Ilha do Frade fazendo turismo ou fazendo books fotográficos", explica Talita, lembrando que a ilha integra a chamada Área de Proteção Ambiental Baía das Tartarugas, a primeira APA marinha capixaba. 

A iniciativa é do Instituto Últimos Refúgios, em parceria com prefeitura de Vitória, Vale, Samifra e com o apoio da Amariv.

Últimas