Folha Vitória Incêndio compromete área de mais de 300 m² de vegetação em Guarapari

Incêndio compromete área de mais de 300 m² de vegetação em Guarapari

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o fogo iniciado em um terreno baldio, no Morro do Atalaia, não atingiu residências

Folha Vitória
Foto: Leitor
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Registro feito na noite de ontem (25), no momento do incêndio.

Na noite de ontem (25), um incêndio consumiu toda a vegetação de um terreno baldio na Servidão Alfredo Bodart, que liga a Praça Trajano com o Morro do Atalaia, no Centro de Guarapari. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o fogo se alastrou por aproximadamente 300 m², mas não atingiu residências.

Marcos Jacaré e Antônio Barrinha, que residem nas proximidades do local do incêndio, informaram que as chamas cresceram rapidamente e, assustados, os moradores da comunidade agiram para impedir que atingissem as residências vizinhas. Segundo o Corpo de Bombeiros, quando a equipe chegou ao local, o fogo já estava controlado.

O Corpo de Bombeiros informou ainda que não houve danos em residências, mas devido à incidência de ventos fortes, as chamas se alastraram pelo lote rapidamente e a área queimada foi de aproximadamente 300 m².

Foto: Antônio Ribeiro
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Terreno baldio acometido pelo incêndio.

De acordo com a corporação, a causa do incêndio é desconhecida e pode se tratar de uma ação pessoal. Para os moradores da região, a quantidade de terrenos abandonados nas proximidades é motivo de preocupação, já que esses locais são propícios para o surgimento de mato e facilitam a propagação de focos de incêndio.

Crime

Conforme a Lei de Crimes Ambientais, nº 9.605 de 1998, atear fogo em terrenos baldios é crime. “É crime causar poluição, de qualquer natureza, em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora” (Art. 54).

Em caso de incêndio, acione imediatamente a emergência do Corpo de Bombeiros, através do 193.

Texto: Nicolly Credi-Dio 

Últimas