Folha Vitória Indústria brasileira foca investimentos em aumento da produtividade em 2022

Indústria brasileira foca investimentos em aumento da produtividade em 2022

Segundo levantamento da CNI, pelo menos 75% das empresas pesquisadas afirmaram que vão investir em aumento de produtividade, com foco no mercado interno. O investimento em maquinário, que domina o destino do capital, deve estar aliado à sustentabilidade da operação e seguir normas regulamentadoras, destaca especialista da área

Folha Vitória
Foto: Divulgação/DINO

Ainda que em menor percentual do que em anos anteriores, 75% das indústrias brasileiras farão investimentos em aumento da produtividade ao longo deste ano. Os dados são de um levantamento da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em 2021, o percentual de empresas que fizeram investimentos com esse foco foi de 79%.

Assim como no passado, neste ano o foco dos investimentos das indústrias tem como objetivo melhorar os negócios no mercado interno. E entre os destinos dos investimentos, a aquisição de máquinas ou equipamento novos (75%), além de manutenção e atualização de máquinas (68%) foram as principais escolhas.

O setor deve melhorar os investimentos em sustentabilidade, com vistas a reduzir a emissão de gases causadores do efeito estufa, conforme informado pela CNI após a última Conferência das Partes sobre Mudanças Climáticas (COP 26), realizada em Glasgow, Escócia, em novembro de 2021. Diante desse cenário, a renovação de máquinas e equipamentos além de melhorar a produtividade, pode atender também a essa preocupação.

De acordo com engenheiro de produção Raul Sampaio, além de melhor desempenho, aumento de produtividade e segurança dos trabalhadores, as empresas, ao contratar maquinário, devem atentar também para a redução de impactos ambientais e a outros fatores ligados à sustentabilidade. “Além de maior cuidado com o meio ambiente, também é preciso estar atento às normas relacionadas à segurança do trabalho, à saúde de trabalhadores, à qualidade de serviços e à responsabilidade social”, informa.

Sampaio ressalta que os cuidados na aquisição de maquinário para as indústrias também devem estar de acordo com as normas regulamentadoras do setor, além de leis ambientais federais, estaduais e municipais.

 “É preciso estar atento a boas práticas de fabricação, as normas da Série de Avaliação de Segurança e Saúde Ocupacional (OHSAS, da sigla em inglês), ISO, entre outras. Existem muitas práticas que não são obrigatórias, mas devem ser seguidas, e outras que possuem alguns níveis de exigência. As empresas não devem apenas se conformar em cumprir o nível determinado, mas buscar ir além, visando a excelência em suas práticas de produção”, relata o profissional, que é mestre em Ciência e Tecnologia Ambiental. 

Indústria deve estar atenta ao cumprimento de normas sobre maquinários

Segundo o engenheiro de produção Raul Sampaio, uma das principais normas a serem observadas pela indústria na aquisição de maquinário e novos equipamentos é a Norma Regulamentadora nº 12, que trata de segurança e proteção contra acidentes e apresenta regras que devem ser observadas não só por fabricantes, mas também por operadores.

“Não só as máquinas novas devem estar de acordo com as normas, como os equipamentos antigos, que precisam ser adaptados e testados de acordo com os requisitos obrigatórios. As máquinas estão estre os principais motivos de acidentes do trabalho e isso está relacionado com a falta de implementação e cumprimento de medidas e procedimentos de segurança”, ressalta.

Sampaio explica ainda que o investimento em novas máquinas deve vir acompanhado de investimento em treinamento dos operadores. “É preciso fazer um controle da operação e buscar feedback dos operadores. A empresa também deve optar por materiais de consumo biodegradáveis ou reciclados, pois essa é uma forma de contribuir para sustentabilidade. Atualmente, existem muitas opções de materiais que são produzidos a partir de fontes recicláveis ou que são biodegradáveis”, atesta o engenheiro de produção, que tem experiência na área de planejamento, controle de produção e gestão de impactos ambientais.

Em que as indústrias mais investiram em 2021

De acordo com a pesquisa Investimento na Industria 2021-2022, realizada pela CNI, os investimentos da indústria no ano passado foram importantes e alcançaram patamar maior do que no ano anterior. Em 2020, 69% afirmaram terem feito investimento, ante os 79% de 2021. Segundo o levantamento, houve ainda redução na frustração dos planos de investimento: 62% das empresas executaram seu plano conforme o planejado. Em 2020, o percentual foi de 47%.

Além da compra e manutenção de maquinários e equipamentos novos, as indústrias disseram ter investido, em 2021, em construção, manutenção e modernização ou aquisição de instalação (67%), capacitação de pessoal (34%), pesquisa e desenvolvimento (30%) e melhoria da gestão do negócio (24%).

Últimas