Folha Vitória Insegurança: moradores relatam casos de arrombamentos constantes em Cariacica

Insegurança: moradores relatam casos de arrombamentos constantes em Cariacica

Quem vive no bairro Santo Antônio conta que os suspeitos esperam as pessoas saírem de casa para agir

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Casas invadidas, furtos, prejuízo e insegurança. Essas são queixas comuns entre os moradores do bairro Santo Antônio, em Cariacica. Quem vive na região convive diariamente com casos de arrombamentos. Até botijas de gás já foram roubadas pelos criminosos. 

Com medo, uma das moradoras vive trancada dentro de casa. No entanto, mesmo assim, ela foi vítima dos criminosos na segunda-feira (23). A mulher estava no supermercado quando teve a casa invadida. 

Os criminosos quebraram uma das janelas da residência para conseguir entrar. A botija que ficava na cozinha foi levada. A moradora acredita que só não levaram mais coisas porque ela não tem pertences de valor. "A gente chora e sofre, mas graças à Deus não tinha ninguém em casa. É um livramento. Se tivesse alguém dentro de casa, poderia ser pior", lamenta. 

Em menos de seis meses, essa é a segunda vez que a casa dela é invadida. Mas ela não é a única vítima no bairro. Na vizinhança, as reclamações são constantes. Quem não teve a casa invadida, conhece um vizinho que teve. Na última quinta-feira (19), por exemplo, os criminosos entraram na residência de um morador e levaram a televisão. 

De acordo com a comunidade, a ação dos criminosos geralmente acontece próximo do horário de almoço. Os ladrões esperam as vítimas saírem para poder agir. Os moradores reclamam que os casos têm crescido e que não há policiamento no bairro.

Em nota, a Polícia Militar informou que tem realizado diversas operações e abordagens na região, o que tem resultado na apreensão de drogas e veículos roubados sendo recuperados. 

A polícia reforçou ainda que é fundamental que a comunidade sempre acione o Ciodes pelo 190 em casos de suspeita ou ocorrência de crime. Quando não há flagrantes, as vítimas devem registrar um boletim de ocorrência. 

*Com informações da repórter Jessica Cardoso, da TV Vitória/Record TV. 

Últimas