Folha Vitória Instituto emite alerta laranja para o Espírito Santo; temperaturas devem ficar 5ºC abaixo da média

Instituto emite alerta laranja para o Espírito Santo; temperaturas devem ficar 5ºC abaixo da média

Os casacos que estavam guardados e as blusas de manga ganharam espaço novamente

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O frio chegou! O Instituto Nacional de Meteorologia emitiu alerta laranja para o Espírito Santo. É uma espécie de aviso de perigo porque a temperatura deve ficar 5ºC abaixo da média pelo menos até sexta-feira (2).

Uma massa de ar polar fez com que as temperaturas despencassem no Estado nos últimos dias. Os casacos que estavam guardados e as blusas de manga ganharam espaço novamente.

O frio também já mudou o cardápio dos capixabas. Os caldos e as bebidas quentes ganharam lugar à mesa. Em uma cafeteria de Vitória, por exemplo, o aumento na saída de bebidas quentes foi de 40%. A preferência é por aquelas que tem especiarias e que aquecem o corpo. 

>> Prefeitura de Muniz Freire alerta população para risco de geada até sábado

O que esperar

Segundo o Incaper, há um aumento de nuvens em algumas regiões do Estado, com possibilidade de chuva fraca até sexta-feira (02) em alguns trechos, sendo menos frequente nas regiões Norte e Noroeste.

Os ventos podem soprar com intensidade moderada, agitando o mar e provocando altas ondas em todo litoral capixaba. Segundo o coordenador, o aumento das capacidades do evento pode atingir de 50 a 55 km/h.

Nesta quinta-feira, a frente fria se afasta em direção ao sul da Bahia e as nuvens começam a diminuir no Espírito Santo. No trecho litorâneo, a presença da umidade transportada pelos ventos costeiros provoca chuvas rápidas no início e no fim do dia.

De acordo com o Incaper, também há risco de formação de geada nos trechos mais elevados da região Serrana. Além disso, os índices de umidade relativa do ar podem ficar em torno dos 30% em alguns pontos da região Sul.

Na sexta-feira (02), a presença da umidade transportada pelos ventos costeiros provoca chuvas rápidas, no início e no fim do dia, nas cidades litorâneas. Há risco de formação de geada nos trechos mais elevados da região Serrana. Não chove nas demais áreas do Espírito Santo.

>> VÍDEO | Para fugir do frio, cachorro "invade" carro na Serra

Drama dos moradores de rua

Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Os moradores de rua enfrentam o frio e o relento. Muitas vezes com poucas roupas e mantas finas. Na Serra, a prefeitura informou que a procura por agasalhos e cobertores aumentou e que só na primeira remessa já foram beneficiadas 30 pessoas. 

Já a Prefeitura de Vitória disse que vai aumentar em mais 40 vagas a capacidade de acolhimento no início de julho. Vila Velha e Cariacica não verificaram o crescimento da demanda pelos abrigos municipais. 

Sul do Brasil tem três dias seguidos de neve

A Região Sul do Brasil teve três dias consecutivos (segunda-feira, terça e quarta) com registro de neve, o que não acontecia há 21 anos. Os registros mais intensos foram feitos na quarta-feira, 30, na região do Planalto Sul, em Santa Catarina. Nevou durante a madrugada, chegando a ter acúmulo em cidades como São Joaquim, Urupema e Bom Jardim da Serra.

A Região Sul não tinha três dias consecutivos de neve desde 2000. De acordo com a Metsul, além da força da massa de ar frio, de origem polar sobre os três Estados da região, a ocorrência do ciclone subtropical Raoni colaborou para a chegada do fenômeno. Nos próximos dias, o cenário não deve se repetir já que, de acordo com a previsão meteorológica, as condições para ocorrência de neve irão se dissipar.

As baixas temperaturas e o registro de neve não foram exclusividade catarinense. Na segunda-feira, os termômetros marcavam 2°C em São José dos Ausentes, na serra gaúcha, quando foram feitos os registros de neve na cidade de maior altitude do Rio Grande do Sul. No mesmo dia, a neve chegou à cidade de Quaraí, na fronteira oeste gaúcha.

Nos dois casos, o fenômeno aconteceu de forma rápida e não chegou a gerar acumulados. Porém, o fato de ter nevado em Quaraí chamou atenção. Primeiro porque o fenômeno não acontecia na cidade desde 2005. No momento em que a neve caía na cidade, os termômetros marcavam 5°C, temperatura considerada alta para incidência de neve, ainda mais em uma região mais baixa.

De acordo com a Metsul, isso foi possível devido ao tempo seco e a circulação ciclônica dos flocos, que permitiu que as nuvens acumulassem neve e ela chegasse à região mais baixa.

Ainda na segunda-feira houve registro de neve em Santa Catarina e no Paraná. De acordo com a Metsul, na cidade de Palmas, foi possível ver parte da vegetação sendo coberta e ficando branca pela neve.

Na terça-feira, a neve chegou de vez aos locais mais altos do Rio Grande do Sul e subiu a serra. Houve registro de neve fraca em Caxias do Sul, Flores da Cunha, Gramado e Canela. Em todas as cidades, o fenômeno foi rápido e a neve rasa, não tendo acúmulo. Além da neve, diversas cidades registraram chuva gelada durante a semana.

Com informações do repórter Álvaro Zanotti, da TV Vitória/RecordTV e do Estadão Conteúdo

Últimas