Folha Vitória Intestino arrancado em Guarapari: jovem recebe alta depois de dois meses internado

Intestino arrancado em Guarapari: jovem recebe alta depois de dois meses internado

O caso, que aconteceu em 16 de janeiro na praia do Ermitão, ganhou repercussão nacional após uma série de especulações sobre o que teria ocorrido no local

Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O jovem, de 20 anos, que teve a barriga cortada e parte do intestino arrancado na praia do Ermitão, em Guarapari, teve alta nesta quinta-feira (17). Ele estava internado em um hospital particular da Serra há cerca de dois meses. 

O caso aconteceu na madrugada de 16 de janeiro e ainda é um mistério. A equipe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa de Guarapari investiga o caso e ainda não há uma previsão de quando o inquérito será concluído.

No dia do ocorrido, o jovem e a namorada havia ido até o local para um luau. A jovem já foi ouvida pela polícia e passou por exames de corpo de delito, no Departamento Médico Legal de Vitória.

O caso ganhou repercussão nacional com a divulgação de uma séria de especulações que surgiram nas redes sociais sobre o que teria ocorrido naquela noite.

Jovem que teve barriga aberta ia viajar para os EUA

O rapaz havia acabado de ganhar uma bolsa de estudos e saiu para comemorar e se despedir da namorada, já que viajaria para os Estados Unidos. 

Os dois jovens ficaram cerca de sete horas no Parque Morro da Pescaria, onde fica a praia do Ermitão. Imagens de videomonitoramento, obtidas pela equipe de jornalismo da TV Vitória/Record TV, mostram o momento em que o casal chegou no local.

O relógio da câmera de segurança marcava 21h01, do dia 15 de janeiro, quando o casal aparece caminhando pela lateral da Praia do Morro, que dá acesso ao parque.

O rapaz e namorada caminham em direção às pedras que dão acesso a uma trilha do parque. A entrada é alternativa e fica fora do portão principal, que estava fechado.

Nas imagens, é possível ver que o rapaz está com uma lanterna e carrega uma mochila nas costas. A jovem segue logo atrás dele.

Cerca de sete horas depois, a jovem aparece nas imagens pedindo ajuda ao vigia do parque, que não aparece no vídeo devido ao ângulo da câmera. Segundo fontes ouvidas pela TV Vitória/Record TV, dez minutos depois do pedido de socorro, o vigia ligou para a central do parque e informou o ocorrido.

Às 4h26, a menina aparece ao lado do pai. Eles aparentam estar desesperados. O homem fala com alguém ao telefone. Às 4h42, a menina aparece nas imagens sentada em um banco. Ela usa o telefone para ligar para alguém.

Às 5h16, os socorristas do Samu e os bombeiros chegam ao local. O rapaz, que já estava com o corte na barriga e sem parte do intestino, é socorrido. Por volta das 6h, ele é levado de maca para a ambulância.

As imagens são importantes para ajudar a polícia na investigação do caso.

Rapaz diz que só recuperou a memória após deixar a UTI

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Em entrevista à Record TV, o universitário disse que só conseguiu recuperar as lembranças do dia do ocorrido após deixar a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde ficou por mais de 15 dias. Ele contou que se recorda de ter sido golpeado várias vezes na cabeça.

"Eu só lembro de estar correndo, não lembro da imagem de estar correndo, mas sim da sensação. Logo depois, fui golpeado várias vezes na cabeça. Depois disso, não lembro de mais de nada. Acredito que fui nocauteado", relatou.

O prontuário médico do hospital onde o rapaz estava internado relata que ele foi diagnosticado com ferimento corto-contuso extenso, feito com uma garrafa de vidro e também relata uso de LSD e perda de consciência.

Também em entrevista à Record TV, o rapaz informou que teve o celular levado pelos agressores e que a namorada conseguiu encontrar o aparelho dela jogado na areia. Ela fez contato com a família e encontrou com o pai no meio do caminho da trilha. Eles, então, esperaram pela chegada do resgate.

De acordo com o jovem, ele passou por um procedimento em que conectaram as partes do intestino com o reto. 

"Perdi uma parte do intestino, mas consigo viver com o que restou do trato intestinal".

Ele disse que a namorada também sofreu lesões na cabeça e nos braços, e que também não se lembra com detalhes da agressão. 

"O estado dela era bem melhor que o meu. Eu lembro que me ajudou a chamar o socorro", afirmou.

Na época, o rapaz disse que aceitou falar com a reportagem para esclarecer as versões que circularam nas redes sociais. 

"Fico feliz de estar falando, vi o que estavam divulgando. Tinha várias histórias. Fiquei muito abalado."

Vítima fez desabafo nas redes sociais

A vítima chegou a desabafar em um grupo que mantém com colegas em uma rede social. O texto, que circulou nas redes sociais, teve a autoria confirmada pelo advogado que representa as famílias das vítimas.

O jovem afirmou que as inúmeras especulações que surgiram a respeito da namorada eram falsas e destacou que ela também foi uma vítima. 

"Eu ia deixar isso passar sem falar nada, mas a situação ficou insustentável. É óbvio que todas essas histórias são mentira. O que houve foi uma tentativa de latrocínio. Machucaram a menina que estava comigo e me feriram no rosto e cortaram meu abdômen, além disso, levaram meu celular e o dinheiro que ela carregava", escreveu. Foto: Reprodução / Twitter
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

VEJA OUTRAS REPORTAGENS SOBRE O CASO:

>> Veja o laudo médico sobre rapaz que teve parte do intestino arrancada

>> "Foi um grande erro usar LSD", diz jovem ferido na barriga em praia de Guarapari

>> Corte no abdômen: advogado de jovens confirma uso de drogas e fala sobre crime em Guarapari

Últimas