Folha Vitória Investigação sobre morte de modelo atropelada em Camburi pode levar mais 30 dias

Investigação sobre morte de modelo atropelada em Camburi pode levar mais 30 dias

No dia do acidente, a motorista do carro que atingiu Luísa Lopes se recusou a fazer o teste do bafômetro

Foto: Vinícius Vasconcelos | Instagram

Após mais de dois meses da morte da estudante, modelo e passista de escola de samba Luísa Lopes, atropelada por uma motorista na noite de 15 de abril, na Avenida Dante Michelini, na Praia de Camburi, em Vitória, a Polícia Civil, questionada pela reportagem do Folha Vitória, informou que pediu à Justiça mais 30 dias para que o inquérito seja concluído. Além disso, disse que não há outras informações sobre o caso que possam ser repassadas.

LEIA TAMBÉM:

Sobre o assunto, a mãe da modelo, Adriani Luíza da Silva, lamentou: “Que Justiça é essa?”. Para ela, que está de licença médica até hoje, ficou a apreensão. “Primeiro passou um mês, depois dois e isso tem deixado a gente apreensivo, além da tristeza que já tínhamos. Esperamos a justiça, porque trazer minha filha de volta não vai ter como. Ouço relatos de outras mães para me apegar à fé. Mas que prazo é esse, que só se estende?”, desabafou Adriani.

“A gente se preocupa do caso cair em esquecimento, ficando mais difícil resolver. Espero que a demora seja realmente para virem à tona os fatos. No mês que vem Luísa faria 25 anos, no dia 24. Tenho tomado remédios, mas todos os dias me vêm as lembranças dela, a alegria e os sonhos interrompidos bruscamente pelo crime”, disse.

Motorista envolvida em acidente em Camburi foi solta após pagar fiança

No dia do acidente, a motorista do carro que atingiu Luísa se recusou a fazer o teste do bafômetro. Adriana Felisberto foi detida e levada à delegacia, onde teve a prisão em flagrante decretada por embriaguez ao volante. Ela passou por uma audiência de custódia e foi liberada após pagar uma fiança no valor de R$ 3 mil.

LEIA TAMBÉM: 

>> Por que motorista envolvida em atropelamento com morte foi solta?

>> Suspeita de atropelar e matar modelo está proibida de frequentar bares

Como era muito querida, conhecida e amada, Luísa ganhou uma homenagem dos amigos e familiares dias após a morte. No local do acidente, foram colocadas diversas flores. Os colegas também fizeram um protesto pedindo por justiça.

A reportagem entrou em contato com a defesa de Adriana Felisberto, mas o advogado informou que não vai se manifestar até o fim do inquérito.

Câmera flagra acidente que matou ciclista em Vitória

Imagens registradas por câmeras de videomonitoramento flagraram o momento do acidente que resultou na morte da modelo e estudante Luísa Lopes.

De acordo com a Secretaria Municipal de Segurança Urbana (Semsu) da Prefeitura de Vitória, numa análise preliminar, no momento do acidente, a ciclista estava no canteiro da avenida e, ao atravessar fora da faixa de pedestres, foi atingida por um carro que seguia no sentido Serra, quando o semáforo estava aberto para a passagem de veículos.

LEIA TAMBÉM: Em vídeo gravado momentos depois de acidente em Camburi, motorista nega ter bebido: "Tomei só água"

Últimas