Folha Vitória Isolamento deve ser respeitado para que transmissão do vírus desacelere, diz secretário de Saúde

Isolamento deve ser respeitado para que transmissão do vírus desacelere, diz secretário de Saúde

Nésio Fernandes anunciou que o dia 22 de março com 2844 casos ultrapassou o número de registros de 28 de dezembro de 2020, até então, com 2757 casos

Folha Vitória
Foto: Divulgação/Sesa
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A situação da pandemia de coronavírus no Espírito Santo irá se agravar ao longo do mês de abril. Foi o que informou o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, que concedeu entrevista coletiva online à imprensa para falar sobre o assunto. Ele apontou que foi alcançado um recorde de números diários de casos no último dia 22 de março. 

"Nesta data foram 2844 casos, superior ao anterior de 28 de dezembro, com 2757 casos. Esperamos ao longo dessa e da próxima semana, que o Estado alcance um pico", alertou. Ele calcula que, neste ritmo de aceleração, com a curva de registros chegando ao máximo, a estabilização passe a ocorrer ao longo do mês de abril.

Ele alertou que as medidas de isolamento devem ser respeitadas para que a transmissão do vírus desacelere. E isso inclui todos, tanto doentes quanto pessoas saudáveis. "Só devemos sair de casa para atividades extremamente essenciais", frisou.

O secretário abordou as altas taxas de ocupação de leitos hospitalares na rede pública, que chegou aos 95,39% nesta segunda. Afirmou que as dificuldades também estão sendo sentidas pelas redes privada e filantrópica.

Temos pedidos para que o SUS possa receber pacientes da rede privada em uma frequência maior que as anteriores. Estamos reconhecendo que a rede hospitalar encontra-se extremamente pressionada pela quantidade de pacientes graves. "Temos pedidos para que o SUS possa receber pacientes da rede privada em uma frequência maior que as anteriores. Estamos reconhecendo que a rede hospitalar encontra-se extremamente pressionada pela quantidade de pacientes graves", afirmou.

Com ele estava Orlei Cardoso, gerente Estadual de Vigilância em Saúde, que abordou sobre vacinação. A tendência é que haja maior quantidade disponível de imunizantes ao longo de abril. "Nós estamos com a expectativa de abril e maio ter um número muito grande de vacinas acima do distribuído, tanto pelo Ministério da Saúde, quanto pela compra de vacinas pelo Estado", apontou o gerente, que recomendou que os municípios se mobilizem mais ainda em suas campanhas de aplicação de doses.

Acompanhe o que disse o secretário Nésio Fernandes:

Novo recorde de casos

O Espírito Santo mantém a aceleração da curva de casos. Alcançamos no dia 22 de março, um novo recorde de 2844 casos, superior ao anterior de 28 de dezembro, com 2757 casos. Esperamos ao longo dessa e da próxima semana, que o Estado alcance um pico e passe a observar uma estabilização durante, pelo menos, três semanas e entrar em fase de recuperação.

Isolamento não só para os doentes

Nós vivemos uma situação extremamente crítica. O Espírito Santo, a cada semana que passa, não estabiliza o comportamento da doença. Insistimos com a população e todos os poderes de que precisamos isolar a sociedade. Neste momento, o isolamento não é só para quem está doente. Só devemos sair de casa para atividades extremamente essenciais.

Rede privada pede apoio ao SUS

Temos pedidos para que o SUS possa receber pacientes da rede privada em uma frequência maior que as anteriores. Estamos reconhecendo que a rede hospitalar encontra-se extremamente pressionada pela quantidade de pacientes graves.

Cronograma de leitos

Devemos alcançar ainda esta semana 900 leitos de UTI, devido à antecipação do cronograma de ampliação. As propostas apresentadas à rede privada e filantrópica tem movimentado esses segmentos para transformar centros cirúrgicos e de enfermaria em leitos intensivos. O próprio governador vai apresentar a atualização desse cronograma, havendo ampliação. O novo valor ajuda na disputa por medicamentos, por exemplo.

Limite de novos leitos

Nós podemos chegar ao momento de ultrapassar 1000 leitos de UTI no Espírito Santo. Essa quantidade é praticamente limítrofe de leitos possíveis de serem abertos para atender a uma única doença. Não queremos que as pessoas morram. Por isso, estamos há um ano batalhando para que as pessoas não se ofereçam ao vírus e não tenham um comportamento de alto risco. Nossas medidas são para salvar vidas.

Recorde na média de mortes e de casos

Amanhã, devemos ultrapassar o número total de óbitos observado em toda a pandemia. Já ultrapassamos o número de óbitos por dia. A média móvel de amanhã deve superar a média móvel de mais de um ano de pandemia. Isso nos sensibiliza. Cansamos de estar contando todo dia o número de mortes por uma doença que pode ser evitada, desde que cada pessoa compreenda o risco real de contrair e infectar uma pessoa próxima. É necessário que a população inteira compreenda o que estamos vivendo.

Fila de pacientes nas UPAs e PAs

Tínhamos 14 pacientes aguardando leitos de UTI nos PAs e UPAs, sendo que três aguardavam mais de um dia. Temos 72 pacientes aguardando leitos de enfermaria, sendo 31 há mais de 24 horas. Ontem, foi o terceiro dia do ano em que o Samu mais realizou remoções de pacientes graves: foram 160 que resultaram em internações hospitalares. Até às 14h, havia ocorrido 54 remoções pelo Samu.

Efeitos da suspensão da circulação de ônibus para trabalhadores da Saúde

Por causa da ausência de transporte municipal em alguns bairros que não são de responsabilidade do Transcol, alguns municípios tiveram prejuízo para os trabalhadores na atenção básica, que não conseguiram acessar as unidades. Alguns vão avaliar hoje e manter o atendimento mínimo. A ausência desse transporte prejudicou também a chegada de diversos trabalhadores em hospitais públicos e privados. Entendemos que os prefeitos devem atualizar as estratégias urgentemente para que amanhã esse prejuízo não ocorra.

Mortes após segunda dose da vacina e mais imunizantes em abril e maio

Gerente Orlei Cardoso: Não temos até a presente data nenhum registro de profissional da Saúde que tenha falecido após a segunda dose da vacina. Nós estamos com a expectativa de abril e maio ter um número muito grande de vacinas acima do distribuído, tanto pelo Ministério da Saúde, quanto pela compra de vacinas pelo Estado. Todos os municípios estão orientados a estabelecer estratégias extraordinárias para vacinar o mais rápido possível.

Kit de vacinação

Numa parceria junto com a Findes, nós estamos recebendo kit de vacinação. Esses kits serão doados para os municípios sendo mais um suporte importante para que eles continuem realizando as suas campanhas de vacina. É um insumo estratégico para ser utilizado nas salas de vacinas. É composto de 11 itens, dentre eles, caixas e termômetros, e nós estamos para receber a partir da semana que vem, para logo em seguida fazer distribuição aos municípios.

Orientação aos municípios

Nésio Fernandes: Nós restabelecemos reuniões com as redes farmacêuticas privadas que atuam no Espírito Santo. Estamos desenvolvendo estratégias para incrementar a capacidade e a velocidade de vacinação nos municípios capixabas. Na última semana, tivemos o melhor desempenho desde o início do processo de vacinação contra a covid, na quantidade de doses registradas. Orientamos os municípios que a meta deve ser a aplicação da totalidade das doses recebidas pelo Ministério da Saúde no menor espaço de tempo possível.

Sinalização de mais doses de vacina em abril e maio

Os municípios são orientados a fazer testes da sua capacidade de vacinação pois temos a expectativa de que no mês de abril e maio tenhamos um volume muito grande de doses disponíveis para vacinação superior aquele distribuído ao longo do processo de vacinação contra a covid-19, tanto pela vinda de doses do ministério da Saúde, quanto pela possibilidade que o Estado realize compra de doses complementares da vacina.

Negociação com laboratório italiano para compra de vacina

Está prevista uma reunião esta semana com o laboratório italiano para tratarmos do avanço da negociação da fase três e a possível futura compra compra da mesma.

Estoque de sedativos e medicamentos

Temos contrato vigentes, preparamos as compras. No entanto, diversos fornecedores estão apresentando uma incapacidade de fornecimento imediato de medicamentos comprados pelo Estado do Espírito Santo. Estamos notificando esses fornecedores. Reconhecemos que, grande parte deles, alegou que a requisição realizada pelo Ministério da Saúde impede que eles consigam fornecer as quantidades solicitadas pelo Estado. Devemos entre o dia de hoje e de quarta-feira, ter esta uma resposta sobre a capacidade dos fornecedores. Ao mesmo tempo, publicamos no final de semana um novo edital para recebermos proposta dos fornecedores para compra de medicamentos do kit intubação no Estado. Ao mesmo tempo, coordenamos com outras entidades uma grande compra internacional de medicamentos para suprir o Espírito Santo com quantidade para suportar a ampliação de leitos já abertos.

Próximos públicos a serem vacinados

Após a vacinação dos idosos de 60 a 64 anos, o próximo grupo será o de comorbidades e os profissionais da Educação e da Segurança Pública, que irão receber as reservas de contingência. Essa reserva é aquela que é enviada a mais para os Estados para repor eventuais perdas no processo. Estamos orientando os municípios para que estabeleçam com a população a emissão da comprovação das suas comorbidades, a emissão de laudos para que possam ter de fato a comprovação de que fazem parte do grupo prioritário, evitando furas-filas.

Fura-filas

Neste momento, o Espírito Santo conta com legislação aplicável para combater eventuais fraudes e furas-filas neste novo momento da vacinação que irá observar dados que exigem comprovação de alguma maneira da comorbidade desse paciente. Qualquer tipo de fraude ou documentação falsa, iremos aplicar todo o rigor da legislação.

Protocolo único para atendimento de pacientes

Nós estamos produzindo protocolos que já existem de maneira independente em alguns hospitais e estamos padronizando para todo o Espírito Santo. E poderá ser adotado pela rede hospitalar filantrópica e particular. Ao longo dessa semana, será publicado sendo definido os critérios de gravidade e a destinação para os recursos, seja para a atenção primária ou para a internação de UTI.

Recursos humanos

Nós, no dia de hoje, já temos 867 leitos de UTI abertos com 853 leitos de enfermaria totalizando 1720 leitos dedicados a pessoas atingidas pela covid. Podemos chegar a marca de 1000 leitos de UTI no Espírito Santo, ultrapassando essa marca. De fato, o limite para ampliação de leitos diz respeito à contratação de recursos humanos.

Limite para abertura de mais leitos

Sempre que nós pudermos ampliar leitos, trabalharemos com a perspectiva de ampliar a rede própria e não estruturas temporárias. Estamos trabalhando com ampliação pontual em alguns serviços de saúde, de unidades modulares e de tendas, para uma oferta complementar. Nós iremos alcançar um momento máximo de expansão da rede hospitalar quando não houver mais disponibilidade de mão de obra. O esgotamento de recursos humanos representará o maior limite à expansão de UTIs do nosso Estado.

Morte por falta de leitos de UTI

Temos registros de pacientes que chegaram muito grave ao serviço de saúde e descompensaram ainda na primeira hora de atendimento. Não temos registro de pacientes que tenham morrido por falta de leitos de UTI. Temos sim, aumento de registro de pacientes que já chegam muito grave ao serviço de saúde e à UTI e que não suportam, dado à gravidade que chegam, o tempo adequado à espera por esse leito. Ainda em condições normais, existe um período para a estabilização desse paciente para que ele seja removida da UPA até o recurso hospitalar. Temos tido um incremento no número de casos que não suportam essa instabilidade até a chegada do recurso.

Aglomerações no último final de semana

Nós precisamos que os prefeitos municipais incrementem as medidas para fazer que o distanciamento seja respeitado nesses dias de quarentena. A frustração da quarentena poderá representar o prolongamento de medidas que possam manter a restrição sobre determinadas atividades. Nós precisamos aproveitar a oportunidade que foi estabelecida neste período para garantir que a curva de casos seja interrompida e que reduza a interação dessas pessoas e que assim possa também encontrar um momento de pico, platô e estabilização e fase de recuperação mais precoce do que em situações de normalidade.

Risco de colapso

O risco real de colapso existe e para que não ocorra é necessário a adesão das pessoas e das instituições à quarentena estabelecida pelo Governo do Estado do Espírito Santo.

Ocupação de 90% e volta do mapa de risco

A ocupação de leitos de UTI deve se manter acima de 90% por diversas semanas. Devemos decorrer acima de 90%. Na próxima semana, o Estado será gerido novamente pelo mapa de gestão de risco. Estando parte da ocupação acima de 90% nós teremos pelo menos de 20 a 24 municípios permanecendo no risco alto no início da próxima semana. Uma quantidade de 50 municípios em alto e 4 municípios em moderado, considerando os dados de hoje na simulação feita nesta manhã.

Óbito hospitalar

O desempenho do óbito hospitalar na rede pública do Espírito Santo se equipara ao desempenho da rede privada, distanciando-se dos altos índices de mortalidade hospitalar observados na rede pública do Brasil. No entanto, alguns bancos de dados não são os melhores para avaliar a mortalidade hospitalar. Acaba havendo confusões sobre desempenho de mortalidade hospitalar devido à diferenças de metodologias.

Mortes após vacina

Nós temos diversos casos de pessoas vacinadas, entre elas, trabalhadores da Saúde, que contraíram covid após a vacinação. No entanto, não temos registro de pessoas que evoluíram a óbito após a segunda dose. De fato, caiu a mortalidade nos grupos dos vacinados. 

Últimas