Folha Vitória Itapemirim cancela voos com passagens já vendidas e causa revolta entre passageiros

Itapemirim cancela voos com passagens já vendidas e causa revolta entre passageiros

Operação da nova empresa aérea começa na próxima terça-feira (29), em oito destinos. Para Vitória, a previsão de início é em setembro

Folha Vitória
Foto: Douglas Cavalcanti/Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

As atividades de aviação da Itapemirim ainda vão começar na próxima terça-feira (29), segundo informações dispostas no site da empresa. No entanto, o cancelamento de alguns voos, já previstos e comercializados, resultou em insatisfação de clientes antes mesmo do início do segmento.

Nas redes sociais da empresa, alguns clientes publicaram comentários relatando cancelamento de voos. Muitos alegam que novos horários disponíveis não são favoráveis ao compromisso.

Foto: Reprodução/Instagram
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Foto: Reprodução / Instagram
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Por meio de nota, a empresa informou que fez uma readequação da malha para o mês de julho, o que exigiu o cancelamento de alguns voos. Segundo a ITA, as mudanças fazem parte do processo estrutural para o lançamento da companhia aérea no mercado nacional.

A empresa disse ainda que todas as bases e rotas foram mantidas, mantendo o atendimento inicial a oito destinos nacionais já em seu primeiro mês de operação. Segundo a ITA, todos os passageiros afetados pelas mudanças estão sendo assistidos de acordo com as regras da Anac.

Atuação

A Itapemirim Transportes Aéreos (ITA), nova companhia aérea do Grupo Itapemirim, recebeu a autorização final da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para começar a operar voos comerciais de passageiros em todo o território nacional. 

Entre as cidades que receberão voos da nova companhia está Vitória. As operações na capital capixaba estão previstas para começar no dia 1º de setembro. As escalas serão com os aeroportos do Galeão, no Rio de Janeiro, e de Guarulhos, em São Paulo.

A concessão é para exploração de serviços de transporte aéreo público regular e não regular de passageiro, carga e mala postal, doméstico e internacional. Segundo a Anac, a aprovação pela Diretoria Colegiada foi a última das cinco etapas do processo de obtenção do Certificado de Operadora Aéreo (COA) pela Itapemirim, que foi iniciado com a solicitação formal apresentada pela empresa.

As etapas do processo envolveram a preparação e análise documental, as inspeções e avaliações das demonstrações (bases de operações e manutenção, treinamento, voos de avaliação, exame de tripulantes) e a certificação.

Últimas