Folha Vitória Laudos médicos para comprovar comorbidades no ES devem estar atualizados

Laudos médicos para comprovar comorbidades no ES devem estar atualizados

Com a possibilidade de antecipar o início da segunda fase, o secretário estadual de saúde, Nésio Fernandes, orientou que os capixabas com comorbidades procurem médicos especialistas para emitir laudos atualizados

Folha Vitória
Foto: Prefeitura de Cariacica / Claudio Postay
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O agendamento da vacinação contra covid-19 de pessoas com comorbidades, deficiência permanente, gestantes e puérperas começou, nesta segunda-feira (03), na Grande Vitória. Mas, além do agendamento, será necessário apresentar um laudo que comprove a comorbidade. 

Em coletiva de imprensa, o subsecretário de estado de saúde, Luiz Carlos Reblin, explicou que essa logística não é uma novidade para os profissionais da saúde do Espírito Santo. 

"O laudo de comorbidade é histórico entre nós, porque na vacinação da gripe esses grupos sempre apresentaram os seus laudos. As equipes são bem preparadas. Elas passam por formação e capacitação permanente. Todas as semanas existe uma conferência à distância com as pessoas que comandam a vacinação nas cidades", explicou. 

Reblin disse ainda que o Estado segue critérios já pré-estabelecidos e adiantou que a segunda fase da imunização pode começar ainda essa semana. "Existe um parâmetro nacional. O cronograma da fase 1: temos cidades que já iniciaram. Como na fase 1 não é tão grande, é possível que nesta semana inicie a fase 2, mesmo sem ter terminado totalmente a 1", afirma o subsecretário. 

Com a possibilidade de antecipar o início da segunda fase, o secretário estadual de saúde, Nésio Fernandes, orientou que os capixabas com comorbidades procurem médicos especialistas para emitir laudos atualizados. 

"Pessoas com cardiopatia, diabetes, arritmia cardíaca: procurem o serviço de saúde, os médicos que acompanham vocês, para atualizar o laudo e não ter problema na vacinação", reforçou o secretário.

Comprovação exigida para a imunização

O critério de priorização foi definido pelo governo do Estado e as prefeituras dos 78 municípios capixabas, a partir da Comissão Intergestores Bipartite (CIB). No estado, segundo estimativas do Ministério da Saúde, serão vacinadas 598.246 pessoas destes grupos, sendo 401.670 de comorbidades, 148.611 pessoas com deficiência permanente e 47.965 de gestantes e puérperas.

No momento da vacinação, deverá ser apresentado um dos documentos abaixo relacionados, além do documento de identificação com foto:

I. Laudo médico;

II. Prescrição médica;

III. Declaração do enfermeiro do serviço de saúde onde o usuário faz tratamento.

Poderão ser utilizados também os cadastros já existentes dentro das Unidades de Saúde.

- A data do documento comprobatório deverá ser de 2018 em diante, ou seja, dos últimos 3 (três) anos, para condições permanentes;

- Para condições adquiriras e transitórias (gestantes e puérperas), os serviços de vacinação deverão reter a cópia de comprovação de 90 dias;

Leia mais: Hipertensos, diabéticos e cardíacos podem ter vacina liberada ainda nesta semana no ES

Grupos prioritários

a) Na faixa etária entre 18 e 59 anos de idade:

1. Pessoas com Síndrome de Down ou deficiência intelectual/mental (autismo, paralisia cerebral ou outras síndromes que desencadeiam a deficiência intelectual/mental);

2. Pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise);

3. Pessoas com fibrose cística;

4. Gestantes e puérperas com comorbidades pré-determinadas no PNO, conforme anexo;

5. Pessoas com obesidade mórbida (índice de massa corpórea - IMC maior ou igual a 40).

b) Na faixa etária entre 55 e 59 anos de idade:

1. Pessoas com Deficiência Permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Considera-se deficiência intelectual/mental os indivíduos com limitações nas habilidades mentais gerais, que impedem as suas atividades habituais e exigem autocuidados.

Além disso, para as pessoas com doença renal (diálise), é recomendado que sejam vacinadas in loco, ou seja, nas clínicas de diálise, visando agilizar o processo de vacinação e reduzir a necessidade de idas aos serviços de saúde. Aqueles que porventura não sejam vacinados nestas ações extramuros poderão ainda ser imunizados nas salas de vacinação.

Lista das comorbidades

- Diabetes

- Pneumopatias crônicas graves

- Hipertensão Arterial

- Insuficiência cardíaca

- Hipertensão pulmonar

- Cardiopatia hipertensiva

- Síndromes coronarianas

- Valvopatias

- Miocartiopatias e Pericardiopatias

- Doenças da Aorta

- Arritmias cardíacas

- Cardiopatias congênitas

- Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados

- Doença cerebrovascular

- Imunossuprimidos

- Hemoglobinopatias

- Obesidade mórbida

- Síndrome de Down

- Cirrose hepática 

Últimas