Folha Vitória Lixo continua acumulado pelas ruas da Grande Vitória mesmo após fim da greve de motoristas

Lixo continua acumulado pelas ruas da Grande Vitória mesmo após fim da greve de motoristas

Durante a greve, as prefeituras da Grande Vitória realizaram o serviço de recolhimento do lixo por conta própria

Folha Vitória
Foto: Lucas Pisa/TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A paralisação dos motoristas de caminhões coletores de lixo no Espírito Santo foi encerrada, nesta quarta-feira (02), após quase 10 dias. O Sindicato dos Rodoviários, que representa a categoria, 100% dos caminhões já voltaram a circular na Grande Vitória. Na manhã desta quinta-feira (03), ainda era possível encontrar diversos pontos com lixo acumulado.

A equipe de reportagem da TV Vitória/RecordTV passou por algumas ruas do bairro Vila Rubim, em Vitória. Em diversos locais, o lixo doméstico ainda permanecia acumulado, com várias sacolas rasgadas e até lixo espalhado pelas ruas.

Durante a greve, as prefeituras da Grande Vitória realizaram o serviço de recolhimento do lixo por conta própria. Mesmo assim, muito lixo ficou espalhado pelas ruas da região metropolitana. Na última segunda-feira (30), houve protesto na porta da usina no bairro Resistência, em Vitória. O clima ficou tenso e as carretas com lixo foram impedidas de sair do local. Moradores do bairro foram para a frente da empresa responsável pela coleta de lixo de Vitória, pedindo o fim da paralisação.

Segundo o sindicato, ainda não teve acordo sobre o salário dos trabalhadores, mas os motoristas resolveram voltar a trabalhar por questões de saúde pública. O Sindirodoviários informou que vai esperar que a Justiça julgue o dissídio.

A categoria iniciou a paralisação do serviço, no último dia 23, para pedir mais diálogo com as empresas sobre o reajuste salarial. Os trabalhadores querem um reajuste salarial de 4,7%. No entanto, segundo o Sindirodoviários, as empresas oferecem 2,4% de reajuste, o que não tem agradado os trabalhadores. Atualmente, dependendo do tipo de veículo, os motoristas coletores recebem um salário que varia entre R$ 2,1 mil e R$ 2,7 mil.

A Justiça do Trabalho já tinha dado duas decisões para obrigar a categoria a manter pelo menos 70% do serviço funcionando. A última decisão, dada na segunda-feira, previa uma multa de R$ 5 mil e determinava que os sindicalistas fossem conduzidos a uma delegacia, para esclarecer o motivo do não cumprimento da decisão.

Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Limpeza Pública do Espírito Santo (Selures) informou que foi comunicado pelo Sindirodoviários, sobre a suspensão da greve, na tarde desta quarta-feira. O Selures diz que foi uma decisão acertada e reforça que as empresas de limpeza pública não vão medir esforços para regularizar os serviços.

Sobre o acordo salarial, o sindicato afirmou que a questão será resolvida na Justiça do Trabalho.

Últimas