Folha Vitória Mais de 100 motociclistas morreram nas estradas do ES de janeiro a abril

Mais de 100 motociclistas morreram nas estradas do ES de janeiro a abril

O capitão Antony, do Batalhão de Trânsito, afirma que grande parte desses acidentes é provocada por imprudência dos próprios motociclistas

Folha Vitória
Foto: Reprodução / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O registro de acidentes de trânsito envolvendo motociclistas são constantes no jornalismo da Rede Vitória. Em menos de uma semana, foram noticiados dois graves acidentes do tipo, que fizeram vítimas fatais. Por vezes, são causados pela imprudência do próprio condutor da motocicleta.

Um dos acidentes registrados nos últimos dias aconteceu na última sexta-feira (28), na Rodovia do Contorno, na altura do bairro Flexal, em Cariacica. O motociclista Thawon Pereira Paulino, de 18 anos, conduzia o veículo pela via, mas acabou batendo em uma carreta. Ele chegou a ser socorrido para um hospital de Vitória, mas após dois dias internado, o jovem não resistiu aos ferimentos e morreu.

O outro acidente aconteceu na última segunda-feira (31) na BR-101, na Serra. Um motociclista de 52 anos morreu após bater de frente com um carro que seguia no sentido oposto.  De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o motorista do veículo disse que os faróis da moto estavam apagados e não conseguiu evitar a batida.

O homem passou pelo teste do etilômetro, que também deu negativo para o uso de bebida alcoólica. Ele foi ouvido e liberado. As causas dos dois acidentes estão sendo investigadas pelas Polícia Civil.

Números assustadores

De acordo com dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), entre os meses de janeiro e abril deste ano, 109 motociclistas morreram em acidentes registrados no Espírito Santo. Um aumento de 25% se comparado ao mesmo período do ano passado, quando 87 condutores morreram.

Segundo o capitão Antony, do Batalhão de Trânsito, a maior parte dos acidentes está ligada à imprudência, falta de habilitação e descumprimento das normas de trânsito.

"Existe um estudo do Observatório Nacional de Segurança Viária que aponta que a maior parte dos acidentes graves são causados por inabilitados em motocicletas ou então, aqueles que fazem uso de bebida alcoólica ou droga ilícita", disse.

Dados do Batalhão de Trânsito também revelam que neste ano foram registrados 52 acidentes, envolvendo motociclistas, somente na região metropolitana. Deste total, 18 morreram. Para o capitão, mesmo com o alto número de fiscalizações nas ruas da Grande Vitória, os flagras de motos em condições ruins, são constantes.

"O Batalhão de Trânsito faz cerca de 8 fiscalizações por mês e a gente pode verificar, durante essas fiscalizações, que muitas vezes os motociclistas negligenciam o estado de conservação dos seus veículos, ou seja, o pneu precisa estar em boas condições, as lanternas, o farol, freio, tudo precisa estar em muito bom estado", explicou.

O capitão Antony ainda chama atenção para outra situação. Durante a pandemia, muitas pessoas perderam o emprego e viram a profissão de motoboy como opção de renda. Com isso aumentou a circulação de motos nas ruas, por isso, a prudência precisa ser ainda maior.

"Nós percebemos como muitos desses profissionais se comportam de forma imprudente no trânsito. Passando por cima de calçadas, não obedecendo a sinalização, colocando a própria vida em risco e os demais usuários da via também", ressaltou.

* Com informações da repórter Milena Martins, da TV Vitória/Record TV.

Últimas