Folha Vitória Mais de 1,2 mil aposentados caíram no golpe do empréstimo consignado neste ano no ES

Mais de 1,2 mil aposentados caíram no golpe do empréstimo consignado neste ano no ES

Dados são do Procon Estadual, que registrou um aumento desse tipo de reclamação durante a pandemia

Folha Vitória
Foto: TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Durante a pandemia da covid-19, tem aumentado a ocorrência do chamado golpe do empréstimo consignado não autorizado, que atinge especialmente aposentados e pensionistas. Somente o Procon do Espírito Santo registrou neste ano, 1,2 mil reclamações de pessoas que afirmam ter sido vítimas dessa prática.

Uma das vítimas foi a aposentada Maria Madalena Stein de Castro, que afirma ter caído no golpe três vezes no ano passado. Ela conta que conseguiu suspender um dos empréstimos e que os outros dois estão bloqueados pela justiça. Disse ainda que teve de correr para não ficar no prejuízo.

"Em agosto eu consegui depois de muita luta. A gente liga para lá e se aborrece muito. E depois eu saí no meio da pandemia, fui na minha agência e devolvi o valor", relatou.

Em abril deste ano, por pouco ela não foi vítima novamente. "Nesse empréstimo, eu entrei na página do Meu INSS e achei esse empréstimo de R$ 3 mil, que eu não havia solicitado. Então eu consegui falar com o banco — é muito difícil, mas eu consegui falar — e pedi que eles cancelassem esse empréstimo antes que ele fosse depositado na minha conta", disse.

Caso não conseguisse evitar a operação, receberia um empréstimo de R$ 3 mil, que não pediu, para pagar em 84 vezes de R$ 71,97. Com os juros, o banco embolsaria o dobro do empréstimo, ou seja pouco mais de R$ 6 mil.

"Eu não sabia de um recurso, que seria bloquear o benefício para empréstimo. Então agora meu benefício está bloqueado para empréstimo e eles não conseguem mais fazer isso. Eles ligam todos os dias, muitas vezes por dia", reclamou.

O diretor do Procon-ES, Rogério Athayde, aconselha que os aposentados confiram sempre os contracheques para identificar qualquer irregularidade.

"A gente pede aos aposentados e pensionistas que tenham o hábito de mensalmente puxar o seu extrato, para verificar se tem alguma coisa a mais, que ele não tenha conhecimento. Então eles recebem um dinheiro a mais na conta, eles não sabem nem desse dinheiro que bateu na conta deles, e começa descontando mês a mês, e quando eles veem, o juros é absurdo. Para se ter uma ideia, eles colocam classicamente R$ 3,5 mil na conta do consumidor e o consumidor paga duas, três vezes a mais"

O órgão, junto com o Ministério Público Estadual (MPES), Defensoria Pública e a Ordem dos Advogados do Brasil no Espírito Santo (OAB-ES), tem trabalhado no combate a esse tipo de crime, e recebido várias denúncias.

"Se no seu município tem o Procon, procure o Procon municipal, procure o Procon estadual. Nós estamos na avenida Jerônimo Monteiro, no antigo prédio do Sebrae, agora numa nova sede. E também temos um canal de WhatsApp para tirar as dúvidas desses consumidores, que é o 27 3323-6237"

Foi o que fez uma aposentada que prefere não ser identificada. Ela conta que entrou em contato com o Procon depois de receber três empréstimos não solicitados, que somam mais de R$ 14 mil, todos em abril deste ano.

"Levei um choque muito grande. Foi um desfalque de quase R$ 600 no meu benefício. E agora estou procurando solucionar e estou encontrando muita dificuldade e perdendo muito tempo. Continua descontando há seis meses", afirmou.

Ela disse ainda que está com audiências marcadas no Procon para o final deste mês e o início de setembro, para resolver a situação.

"Tem audiência de conciliação, para me devolverem, e os danos morais também, por causa dos danos que a gente sofre, principalmente psicológico. Fiquei muito depressiva com isso. Trabalhei desde os 14 anos para ter tranquilidade na vida de idoso e, chega nesse ponto, a gente se depara com essa situação", lamentou.

As duas aposentadas receberam empréstimos indevidos de quatro instituições financeiras. A produção da TV Vitória/Record TV tentou, mas não conseguiu o contato de três delas. A outra não enviou resposta até a noite desta quinta-feira.

O Banco Central orientou que, em caso de empréstimo não reconhecido, o cidadão deve entrar em contato com a instituição e solicitar o imediato cancelamento.

Leia também:

>> Golpes no ES: polícia registra em média dois casos por dia. Veja como se proteger!

>> Aposentada é vítima de golpe após assinar contrato com suposta financeira
>> Suspeitos de aplicarem golpe em idosa e deixarem prejuízo de R$ 21 mil são presos em Vitória
>> Golpe: homem tenta comprar celular em site de vendas e tem prejuízo de R$ 1,3 mil no ES

Com informações do repórter Álvaro Zanotti, da TV Vitória/Record TV 

Últimas