Folha Vitória Mais de 140 pacientes com covid esperam em fila por leitos de UTI e enfermaria no ES

Mais de 140 pacientes com covid esperam em fila por leitos de UTI e enfermaria no ES

O crescente registro de novos casos de covid-19 tem feito forte pressão no sistema de saúde capixaba

Folha Vitória
Foto: Diego Simão/TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Ao todo, 143 pessoas infectadas pelo novo coronavírus esperam por leitos tanto de enfermaria quanto de UTI. A informação é da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), que atualizou o dado na noite deste sábado (03).  

Segundo a Sesa, dos 143 pacientes, 61 esperam por vaga de enfermaria, quatro de UTI e outros 78 foram atendidos pelo Samu 192 e aguardam para serem encaminhados para UPAs, PAs ou hospitais. 

Ainda segundo dados da Sesa, entre os pacientes que estão na fila à espera por leito de enfermaria, 51 estão esperando há menos de 24 horas, nove aguardam há mais de um dia, e um há mais de dois dias. Não foi informado o tempo de espera dos pacientes que aguardam por leito de UTI. 

Espera maior

O crescente registro de novos casos de covid-19 tem feito forte pressão no sistema de saúde capixaba. A ocupação de leitos de UTI já ultrapassou os 90% e agora os pacientes que possuem a forma grave da doença estão ficando em filas de espera em busca de um leito. 

Em alguns municípios, como Cariacica e Vitória, há pacientes esperando há mais de dois dias. 

Na sexta-feira, o secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, explicou o critério utilizado para o preenchimento de uma vaga e ressaltou a importância do Samu neste processo.

"Se o paciente estiver muito grave, intubado e com risco de vida, os municípios que possuem cobertura do Samu, o serviço entra em contato direto com o serviço móvel de urgência que faz a regulação desse paciente com direito à vagas em hospitais de referência. Quando o médico regulador solicita a vaga para um hospital, o hospital possui um período de horas para saber se ele aceita ou não aquele paciente. Esse processo vincula a central de leitos e a central do Samu", explicou o secretário.

Leia também: Com mais 90% de ocupação em UTIs, pacientes com covid-19 têm formado fila de espera

Mesmo com a ampliação no número de leitos,  o Estado tem enfrentado dificuldades em conseguir insumos e medicamentos para garantir o atendimento adequado. 

''A aceleração dos casos da doença e o aumento no número de internações tem provocado uma pressão assistencial. É importante esclarecer que para uma transferência ser realizada é necessária a atualização do perfil do paciente sempre que ocorrerem mudanças no quadro clínico que possam impactar no tipo de leito inicialmente solicitado. A Sesa ressalta ainda que é essencial que a população colabore com as medidas estabelecidas para reduzir o avanço da doença e a pressão assistencial, como protocolos de higiene e cuidados como o uso de máscaras, distanciamento social e a higienização das mãos com frequência.', destacou a Sesa, por nota. 

Nas últimas 24 horas, o Espírito Santo registrou 1.614 novos casos de covid-19 e 35 mortes. 

Últimas