Folha Vitória Marinheiros indianos chegaram ao ES na terça-feira (25) e não saíram de hotel de Vitória, diz agência

Marinheiros indianos chegaram ao ES na terça-feira (25) e não saíram de hotel de Vitória, diz agência

Diretor da agência de navegação que contratou marinheiros e comandante diz que quarentena em hotel antes de embarque é procedimento padrão e que outros profissionais já testaram positivo para a doença antes

Folha Vitória
Foto: Nathália Munhão/TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O marinheiro indiano que testou positivo para a covid-19 e os outros dois colegas seguem em isolamento em quartos separados em hotel na Praia de Camburi, em Vitória. De acordo com informações da agência de navegação que contratou o grupo, eles devem permanecer no local por mais alguns dias. O resultado do teste que pode indicar se a infecção é da variante indiana deve sair até quarta-feira (02).

Ao todo, 94 pessoas, entre hóspedes e funcionários do estabelecimento, começaram a ser testados na sexta-feira (28), quando o hotel foi fechado. No domingo (30), alguns clientes puderam sair após resultados negativo para a covid-19. 

Segundo o diretor da agência de navegação que contratou os marinheiros, Roberto Garofalo, dois dos indianos, inclusive o que testou positivo, já estão no Espírito Santo desde a última terça-feira (25). O terceiro, um comandante, chegou ao estado na madrugada de quinta-feira(27). 

Segundo ele, testes para detecção da doença já são realizados em todos os trabalhadores, pois se trata de um procedimento padrão.

"Eles já ficariam de quarentena, pois eles têm que embarcar. Não queremos colocar uma pessoa, mesmo que assintomática, em um navio com o risco de ela desenvolver covid-19. Todos ficam pelo menos uma semana e meia ou duas semanas aguardando a quarentena. Eles poderiam chegar só quando o navio tivesse atracado, mas pela segurança de todos, já são realizados os testes", explicou.

Outros marinheiros já testaram positivo

Garofalo relatou, ainda, que já houve outros casos de testagem positiva para a doença. No entanto, por se tratar da possibilidade de uma nova variante, os cuidados são maiores. Segundo ele, todos serão testados novamente e, em caso negativo, já serão liberados para o embarque após o cumprimento da quarentena obrigatória.

"Para nós, é um procedimento padrão, mas desta vez, houve esse tumulto. A doença existe e é perigosa, mas é uma situação normal. Eles não foram os primeiros e nem serão os últimos a serem submetidos aos testes. Estamos atentos aos resultados e aos cuidados necessários", disse.

O diretor também explicou como funciona o embarque para o Brasil e os procedimentos adotados em solo brasileiro. Segundo ele, os três indianos não apresentavam sintomas da covid-19 antes da viagem. Testes negativos teriam sido apresentados para que eles pudessem realizar a viagem.

Leia também:
>> Hotel interditado em Vitória não cumpria protocolo de segurança epidemiológica
>> Hotel fechado após indiano testar positivo para covid é usado por funcionários da Petrobras

Para Garofalo, é preciso que haja a compreensão de que a situação está sendo acompanhada e todos os cuidados necessários já estão sendo tomados. Ele contou que ouviu e leu muitos comentários criticando a presença dos marinheiros indianos em solo capixaba, mas destaca que esta viagem faz parte do trabalho de cada um.

"Temos navios vindo para o Espírito Santo de todos os lugares do mundo. A variante indiana fez esse alarde, mas não estão colocando uma linha do lado humano. Eles são trabalhadores, que estão indo à bordo. Muitos ficam cerca de um ano no mar, sem ver família, sem ver ninguém. Eles precisam disso para sustentar a família deles. É triste ver a falta de empatia de muitos. A Secretaria de Saúde do Estado, no entanto, foi muito atenciosa", disse.

O caso

Na manhã da última sexta, um hotel localizado na Praia de Camburi, em Vitória, foi fechado, após três indianos, que estavam hospedados no local, serem isolados com suspeita de covid-19. Um deles, que já chegou ao hotel com sintomas fortes de covid, como febre e coriza, testou positivo para a doença.

A partir disto, o hotel isolou as três pessoas e acionou a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Os indianos desembarcaram de avião no Espírito Santo em um voo de São Paulo. Eles levariam um navio atracado no litoral capixaba para a Índia.

Vários profissionais integrantes da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e da Vigilância Sanitária chegaram às 11h no hotel para testar tanto os indianos como também todos os funcionários e hóspedes do estabelecimento para investigação de novas infecções. Ao todo, 94 pessoas foram submetidas a testes RT PCR, que foram realizados na área da piscina do hotel.

Ao todo, foram testados 52 adultos e cinco crianças, além de 37 funcionários do local. 

No domingo (30), os primeiros hóspedes do hotel começaram a ser liberados. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e pela Secretaria Municipal de Saúde de Vitória (Semus), que disseram que eles deixaram o hotel após terem um segundo resultado negativo para o exame de RT-PCR.

Últimas