Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Notícias R7 – Brasil, mundo, saúde, política, empregos e mais
Publicidade

"Me vi na obrigação de orientar", diz secretário do ES sobre jovem pego com drogas

Para o secretário, o dado de que 80% das pessoas envolvidas com o tráfico de entorpecentes têm entre 14 e 29 anos e deveria ser o maior...

Folha Vitória

Folha Vitória|Do R7


Folha Vitória
Folha Vitória

Um vídeo em que o secretário de Estado da Segurança Pública do Espírito Santo (Sesp), coronel Alexandre Ramalho, "deu uma bronca" em um adolescente de 16 anos, apreendido com armas e drogas, viralizou nesta sexta-feira (12). 

Na filmagem, ele aparece orientando o jovem a deixar o mundo do crime. A autoridade concedeu entrevista com exclusividade ao Folha Vitória sobre o assunto. Ele afirmou que se viu na obrigação de alertar o adolescente, e que aquela foi a oportunidade de "dar uma chacoalhada nele, mesmo que no impulso tenha usado palavras grosseiras". Reveja:

Para ele, o dado alarmante de que 80% das pessoas envolvidas com o tráfico de entorpecentes têm entre 14 e 29 anos, deveria ser o maior debate do país hoje. 

"Na verdade estamos muito preocupados com esse tema, porque no Estado e no Brasil, quem está matando e morrendo no tráfico está em uma faixa etária de 14 a 29 anos. E nesta sexta (12), quando nos deparamos com uma abordagem a dois jovens em Linhares, um de 19 e outro de 16, sendo que na bolsa do mais novo, que assumiu ser dele, havia uma submetralhadora de fabricação caseira, uma farta quantidade de maconha e crack, isso nos choca", disse.

Publicidade

Ramalho afirmou que aconselhou o adolescente a sair daquela vida, porque ele logo poderia morrer. "O jovem seria alvo daqui a pouco. Estamos falando do bairro Bebedouro, de expressiva vulnerabilidade social e violência, que vira e mexe temos notícias de homicídios", acrescentou.

O coronel desabafou no sentido de que, ao se deparar com aquela cena, viu-se na obrigação, mesmo que no impulso, de alertar ao garoto de que aquele caminho não o levaria a nada. Ramalho também afirmou que se pudesse falar com todos os jovens ligados ao tráfico, falaria, já que não se conforma em ver uma geração tendo vidas ceifadas tão cedo.

Publicidade

"São jovens morrendo há décadas por essa ligação com o crime, por conta da desestruturação familiar, da erradicação escolar, da falta de infraestrutura dos bairros, da falta de visão do emprego formal. Acaba que só têm olhar para vender droga. E vive armado para se defender ou para atacar alguém a mando do tráfico. É muito triste e a gente não tem outro sentido de fazer o policiamento se não for para levar a paz social, levar segurança", continuou.

"Foi a oportunidade de dar uma chacoalhada nele", disse o secretário

A autoridade ressaltou que, no momento em que estava junto à polícia no cumprimento de mandados, não conseguiu deixar a situação escapar.

Publicidade

"Foi a oportunidade de dar uma chacoalhada nele, mesmo que no impulso tenha usado palavras meio grosseiras. Sei que falar ainda é muito pouco, mas estou fazendo minha parte e cumprindo a função repressiva de prender os dois, retirá-los de circulação desses bairros onde a grande maioria é composta por pessoas trabalhadoras, honestas, que não merecem viver sob a crueldade deles", prosseguiu o secretário.

Ramalho diz acreditar que é possível que jovens mudem drasticamente de caminho

Questionado sobre a possibilidade de mudança na trajetória de vida de adolescentes que já entraram para organizações criminosas, Ramalho se mostrou esperançoso de que é possível acreditar em mudanças drásticas.

"É possível sair do caminho que estão tomando. O próprio governo do Estado tem vários programas de qualificação, bem como o Sest e Senat, instituições que podem colaborar se a pessoa buscar. Entramos na casa desses jovens e vimos uma situação de miséria, ou seja, o tráfico não entrega nada a eles a não ser a morte. Então qualquer outro emprego que eles possam ter um salário, se profissionalizar, buscar uma meta à frente, acho que é muito importante", pontuou.

A obrigação, segundo ele, de tentar retirar os jovens do mundo das drogas e inseri-los no mercado de trabalho, é de toda a sociedade, com apoio de empresários e do governo em vários níveis.

Por que o jovem no tráfico morre cedo?

Para o coronel Alexandre Ramalho, o jovem morre cedo no tráfico porque é isso que se exige dele, até por meio de rivalidades com outras facções que não podem conviver juntas.

"Eles se denominam parte de organizações criminosas e quem pertence a uma não aceita a convivência com a outra. Quando uma conta com um ponto de venda rentável, a outra facção tenta tomar e quando isso acontece é na base da morte, do confronto armado e a estatística mostra isso", lamentou.

Por fim, o secretário de Segurança acrescentou que medidas para o fim do envolvimento de jovens no crime deveria ser prioridade nas pautas de governo, mesmo por parte do Poder Legislativo, para reformulação de leis. 

"Deve-se também buscar orientar os jovens para o caminho formal da escola, do emprego, da renda. Os países que avançaram nessas questões sociais têm pouquíssimos índices de criminalidade", concluiu Ramalho.

Operação em Linhares

Policiais civis e militares do Espírito Santo cumpriram, na manhã desta sexta-feira (12), 37 mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão em bairros de Linhares, no Norte do Espírito Santo.

Os alvos da operação, segundo a polícia, são ligados a três organizações criminosas que atuam no tráfico de drogas, homicídios e outros crimes.

Ao todo, cerca de 80 policiais de diversas unidades da Superintendência Norte da Polícia Civil, além da Core, canil da PMES, Resgate do Corpo de Bombeiros e Notaer, participam da ação.

Os mandados estão sendo cumpridos em Regência, Rio Quartel, Bebedouro, Residencial Rio Doce, Aviso, Planalto e Canivete.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.