Folha Vitória Metalúrgico é rendido por criminosos fortemente armados e tem carro roubado em Fundão

Metalúrgico é rendido por criminosos fortemente armados e tem carro roubado em Fundão

Os criminosos embarcaram no veículo e colocaram o motorista no banco de trás; ele teve uma armada apontada para a cabeça

Folha Vitória
Foto: arquivo pessoal
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Um metalúrgico de 35 anos foi rendido por quatro criminosos armados em uma estrada que liga o centro de Fundão ao distrito de Praia Grande. A vítima, que trabalha em Minas Gerais, vem para o Espírito Santo todo mês passar os dias de folga com a esposa, que mora na Serra. Além do carro, ele teve os documentos e R$ 2 mil roubados. 

A vítima contou à equipe de reportagem da TV Vitória/Record TV que quatro homens armados saíram da vegetação, às margens da rodovia, e entraram na frente do carro. Os criminosos embarcaram no veículo e o motorista foi colocado no banco de trás.

"Quando eu estava descendo o morro, eles me pegaram. Saíram do mato com umas armas muito pesadas. Eles pediram para eu parar, colocaram a arma na minha cabeça, um do lado direito e o outro no lado esquerdo. Me perguntaram onde estava o dinheiro e diziam que queriam mais", lembrou a vítima. 

Ele acredita que só conseguiu ser liberado pelos criminosos porque, além de entregar o celular, também deu R$ 2 mil. O rapaz conta que foi deixado na estrada e rolou no chão para sair da vista dos criminosos.

"Quando eles curvaram, me chutaram do carro e eu saí rolando. Eu fiquei debaixo da cerca, com medo de que eles atirassem", contou.

A vítima chegou a pedir ajuda em uma casa. Um dos moradores levou ele até a Delegacia Regional da Serra, onde fez o boletim de ocorrência. 

Prejuízo além do material

O carro roubado foi comprado em novembro e o valor foi quitado no mês passado. "A gente trabalha tanto para conseguir o veículo e roubam tudo assim tão fácil. É muito difícil viver assim", lamentou.

De acordo com o motorista, o veículo possui seguro, mas o problema não é apenas a perda material. Após o susto, será difícil recuperar a alegria de voltar ao Espírito Santo e o metalúrgico pensa até em levar a esposa para morar com ele em Minas Gerais.

"Eu vou ter que passar por um tratamento. Não foi fácil o que aconteceu comigo. Para se ter uma ideia, eu fiquei mais abismado pelas armas. Era impressionante! As armas todas novas, eles encapuzados. Ali eu senti praticamente a luz de Deus, mas foi um livramento", afirmou.

A Polícia Civil informou que o caso segue sob investigação da Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), e até o momento nenhum suspeito foi detido e o veículo não foi localizado. 

* Com informações da repórter Fernanda Batista, da TV Vitória/Record TV.

Últimas