Metalúrgicos do ES decidem entrar em greve após impasse sobre reajuste salarial

Audiência para mediar a situação entre os trabalhadores e as empresas está marcada para a próxima quarta-feira, às 13h30

Foto: Reprodução/Pexels
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Os metalúrgicos que atuam nas áreas industriais no Espírito Santo decidiram entrar em greve na manhã desta segunda-feira (26). Participam do movimento trabalhadores de empresas prestadoras de serviços das grandes companhias que atuam no estado. 

O motivo da paralisação, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do Espírito Santo (Sindimetal-ES), é o impasse gerado na negociação salarial, entre a categoria e as indústrias, para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho 2020/2021. Os trabalhadores reivindicam reajuste salarial de 5%, reajuste de 12% nos pisos profissionais e piso de ingresso, cartão alimentação no valor de R$ 590,00 por mês, entre outros pleitos.

Ainda de acordo com o Sindimetal-ES, a decisão pelo movimento grevista se deu após o Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico do Espírito Santo (Sindifer) negar as reivindicações dos trabalhadores e apresentar uma proposta de 1% de reajuste salarial, além de retirar 13 cláusulas da atual Convenção Coletiva de Trabalho da categoria.

O Sindifer informou que solicitou uma audiência de mediação na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Espírito Santo (SRTE-ES) para resolver o impasse. A audiência está marcada para a próxima quarta-feira (28), às 13h30.

O sindicato das indústrias informou ainda que continua aberto para negociar com os trabalhadores e lamentou a decisão do Sindimetal de iniciar a paralisação.