Metas de Ano Novo contribuem com a saúde mental

Psicóloga Marina Tedeschi Cano, da Vibe Saúde, explica que refletir sobre o ano que passou, relembrando pontos positivos e negativos...

Folha Vitória
Foto: Divulgação/DINO

Começa o novo ano e com ele aparece a lista de metas e desejos a serem cumpridos. Mas por que isso é tão comum? O que leva as pessoas a criarem essas listas quando um novo ciclo ou ano se inicia?  

Essa é uma época marcada pelos encerramentos de ciclos, finalizações de atividades, momento de balanço sobre o que funcionou e o que precisa melhorar e, consequentemente, aparecem os novos planos para o ano que se inicia.

Segundo Marina Tedeschi Cano, psicóloga da Vibe Saúde, “É quando entramos em contato com a ideia de que tudo tem começo, meio e fim, ou seja, fechamos um ciclo para iniciarmos uma nova fase.” 

A especialista ainda destaca que elaborar metas e pensar nos sonhos que se tem para o futuro são importantes para a saúde mental, pois são esses desejos que fazem as pessoas caminharem, olharem para frente, buscarem melhorias para a vida, refletirem sobre mudanças possíveis para se aproximar, cada vez mais, da vida que gostariam de ter o prazer de desfrutar.  Marina também reforça a diferença entre os sonhos e as metas e o que eles representam na busca pela vida desejada: "Os sonhos estão relacionados ao lugar onde queremos chegar. Já as metas são as etapas que precisamos realizar para conseguirmos alcançá-los”, diz. Um exemplo é quando uma pessoa quer estar bem fisicamente para não precisar utilizar remédios no futuro: ela pode ter como meta fazer exercícios físicos 3 vezes por semana e equilibrar a quantidade de açúcar que usa no dia a dia.

Como fazer a lista de metas para 2023 

Refletir sobre o ano que passou e relembrar pontos positivos e negativos são importantes para realizar mudanças.  Pensar nos sonhos, onde chegar e quais os passos para conseguir alcançá-los são o principal movimento necessário para alcançar objetivos.  

Marina enfatiza que menos é mais. “Escolha poucas metas que está começando, tanto as que sejam importantes para mudanças que precisa como também as que deve incluir para se aproximar dos planos futuros". Segundo a psicóloga, colocar itens que estejam muito distantes do que é possível pode fazer com que a pessoa desanime e desista de tentar começar aos poucos, construindo as etapas: "Escolha metas que estejam alinhadas com o que quer e não com o que as outras pessoas esperam. Procure deixar a lista em um lugar que seja fácil de acessar para que você possa retomá-la sempre que precisar", reforça.

Apesar de parecer simples, muitas vezes é comum que as pessoas desistam e até se esqueçam da lista que fizeram logo no primeiro mês. “Isso acontece porque quando as expectativas criadas estão além da realidade de cada um, então a frustração aparece rapidamente e o desânimo é certo." Uma lista muito extensa pode colaborar para que isso aconteça, pois a ansiedade em cumprir esses itens pode fazer com que a pessoa paralise em vez de tentar realizar, uma vez que são apenas 12 meses para colocar em prática tantas metas.

Outra recomendação da especialista é sobre cada um entender melhor a própria realidade. “Vamos supor que seu objetivo seja ganhar mais dinheiro para conseguir viajar. Para isso, é preciso entender o seu cenário." Nesse caso, por exemplo, a psicóloga sugere que sejam feitos alguns questionamentos: Existe a possibilidade de promoção no trabalho atualmente? Seria preciso encontrar um segundo trabalho ou mudar de área de atuação? Quais outros gastos precisam e podem ser reduzidos para uma economia? "Com isso, é possível delimitar seus objetivos para conseguir cumpri-los", diz.   

A psicóloga da Vibe Saúde indica se conectar com os desejos, dores e processos internos, além de utilizar a terapia como uma ferramenta para autodescoberta. “Conseguir ter um espaço para falar do que sente, de medos e angústias, conquistas e habilidades, contribui muito para que, a cada ano, você se aproxime do que realmente traz satisfação para a sua vida."

Últimas